Fórmula 1: McLaren, a fênix da categoria?

Diz a lenda que o pássaro fênix pega fogo quando morre e renasce das cinzas. A McLaren tenta ser essa fênix.

LEIA MAIS:
“Trataram-me como lixo”. Entenda o que irritou Hamilton antes do GP da Austrália

A McLaren quer esquecer 2015, um dos piores da historia da equipe, a segunda mais antiga da Fórmula 1. De vinte corridas, pontuou em apenas cinco, ficou a frente apenas na nanica Manor no mundial de construtores e o seu melhor resultado fio um quinto lugar obtido por Fernando Alonso, numa corrida atípica. O principal fator de a equipe ter tido esse ano medonho foi o motor Honda. A montadora japonesa retornou a parceira com a equipe na esperança de rever os momentos de glória, mas no momento deu apenas dor de cabeça para a escuderia.

Para esse ano, porem, a expectativa é que a equipe evolua. Na pré-temporada, andou 14 vezes mais do que na pré-temporada de 2015, ajudando bastante na resistência do motor, um dos principais problemas da equipe no ano passado. No campeonato, a tendência é ficar no pelotão intermediário, com Force India, Renault e Red Bull, além da presença maior na zona de pontuação. Se tiver sorte, a equipe poderá beliscar um pódio, mas dependerá de condições atípicas, como chuva ou safety-car no momento certo. Já a vitória, que a equipe não conquista desde 25 de novembro de 2012, terá que esperar, e até mesmo o maior fã da equipe tem que admitir esse fato.

A dupla continua a mesma do ano passado. Jenson Button já vai para a sua 17º temporada na Fórmula 1, sendo o piloto mais experiente do grid. Contudo, não tem garantia de que vá continuar na equipe. Já seu companheiro, Fernando Alonso, vem demonstrando insatisfação com a equipe e sua situação na categoria. O espanhol, porém, se questiona sobre a permanência na Fórmula 1, embora ele diz que prefere esperar 2017, quando os carros e as regras sofrerão modificações. Caso algum dos dois seja impedido de correr, entrará o belga Stoffel Vandoorne, atual campeão da GP2 e que neste ano correrá a Super Formula japonesa para não ficar fora de forma. Vandoorne mostrou ser rápido e merecedor de uma chance na categoria máxima do automobilismo.

Não espere muito da McLaren para 2016, mas nunca duvide de uma equipe grande. No início dos anos 90, a Ferrari passou três anos sem ganhar corridas, mas depois se reestruturou e dominou a Fórmula 1 no início da década de 2000. Jamais duvidem de uma grande equipe