Faturamento x cansaço: conheça o “dilema” do Flamengo nesse começo de ano

Gilvan de Souza/Flamengo

Com Maracanã e Engenhão fechados para a realização dos Jogos Olímpicos do Rio, o Flamengo se viu numa situação diferente em 2016: a de viajar o Brasil para disputar suas partidas pela Primeira Liga, Copa do Brasil e até o próprio Campeonato Carioca. Por um lado, a diretoria está adorando o fato de poder jogar em outros Estados, pois torcedor rubro-negro é o que não falta no País. Assim, a arrecadação em bilheteria ajuda os cofres, porém o cansaço das viagens…

LEIA TAMBÉM:
Flamengo x Fluminense: 20 mil ingressos vendidos para clássico no Pacaembu
Estreia do Flamengo na Copa do Brasil faz globo bater audiência no RJ

A relação faturamento x desgaste vem realmente sendo um dilema para o Flamengo nesse começo de temporada. O clube já arrecadou mais de R$ 5 milhões do que prevê receber em 2016 com bilheteria. A conta da cúpula rubro-negra é que fature R$ 20 milhões entre venda de ingressos e cotas fixas, ou seja, 25% dessa previsão já foi alcançada com o elevado público nas partidas que disputou em várias cidades.

Só para se ter ideia do lucro, o Flamengo projeta faturamento de cerca de R$ 500 mil líquido com o clássico diante do Fluminense, no Pacaembu, em São Paulo, neste domingo. Como mandante, o Urubu vai fazer a operação da partida, sem intermediários.

O que incomoda Muricy Ramalho e os jogadores é exatamente o excesso de viagens. Até aqui, o Flamengo já disputou partidas em Brasília, em Cariacica (ES), e irá jogar em Juiz de Fora (MG) pela semifinal da Primeira Liga e na Taça Guanabara, em clássico com o Botafogo.

Ainda pelo Carioca, terá o Fla-Flu no Pacaembu, em São Paulo, e voltará a Brasília contra o Vasco, no próximo dia 30. Isso sem contar que, na pré-temporada, o clube fez amistosos contra Ceará e Santa Cruz, em Fortaleza e Recife, respectivamente.

Para piorar, a equipe de Muricy ainda oscila em jogos considerados “ganháveis”. Na quarta-feira passada, por exemplo, o Flamengo foi derrotado pelo Confiança-SE, em Aracaju, por 1 a 0 e terá que disputar o jogo de volta, em abril, em Volta Redonda.

Por ter que disputar a segunda partida contra o time sergipano, o Urubu deixará de ganhar cerca de R$ 500 mil. Com o revés, a arrecadação ficará integralmente com o Confiança, isso sem contar mais uma viagem e outro compromisso no já apertado calendário.

Curtiu a matéria? Siga o autor no Twitter: @fontes_matheus.
Facebook: Matheus Martins Fontes.

Foto: Gilvan de Souza/Flamengo



Esportista de hobby, mas jornalista de profissão. Trabalhou como repórter do O Estado de S. Paulo, Revista TÊNIS. Tênis Virtual e CurtaTÊNIS em coberturas nacionais e internacionais de grandes eventos.