Ex-clube de Bolaños deu dicas para o Grêmio superar a altitude contra a LDU

Grêmio
Crédito da foto: Reprodução/ Facebook oficial Grêmio

Ainda em fevereiro, enquanto acertava os detalhes finais da contratação de Miller Bolaños junto ao Emelec, o Grêmio recebeu preciosas dicas do clube equatoriano sobre como se preparar para o duelo frente à LDU, em Quito. O ex-clube de Bolaños é um dos principais rivais da Liga no Equador. 

LEIA MAIS:

Herói do Grêmio na Argentina já despertou o interesse de gigante da Europa

ENQUETE – Quem é melhor: Marcelo Grohe ou Alisson? Vote!

Com um fôlego a mais depois do empate contra o San Lorenzo na última terça, o Grêmio só volta a jogar pela Libertadores no dia 13 de abril, justamente contra a LDU e a altitude de Quito. Segundo as recomendações passadas pelo Emelec, o ideal seria viajar apenas no dia do jogo para Quito, cidade que tem altitude de 2,8 mil metros.

Ao mesmo tempo, eles aconselharam o Grêmio a realizar treinamentos prévios na cidade de Guayaquil, que fica ao nível do mar. Chegar para o jogo horas antes da partida seria uma estratégia para atenuar os efeitos causados pela altitude. No entanto, na partida de estreia contra o Toluca, em mais de 2,6 metros de altitude no México, o time gaúcho adotou logística diferente.

Naquela ocasião, a equipe chegou quatro dias antes do jogo e realizou três treinamentos nesta altitude de 2,6 mil metros. O intuito da comissão técnica era possibilitar uma rápida adaptação dos atletas ao tempo de bola e à velocidade do jogo. Porém, em campo, o desempenho não foi bom e, mesmo com um homem a mais, o Grêmio perdeu por 2×0.



Jornalista formado pela PUCRS em agosto de 2014. Fã de esportes, sobretudo tênis. Colorado por paixão, jornalista por vocação e tenista por opção.