Das 10 contratações mais caras do Brasil, apenas 3 jogadores vingaram; veja

Nem sempre os clubes brasileiros tiveram uma situação econômica favorável. Em meados da década passada que as condições financeiras dos clubes tiveram uma melhora e assim eles passaram não só a investir pesado em salários de jogadores como também contratar atletas por um alto valor. Mas o problema é que nem sempre essas contratações vingam.

Para se ter ideia há 10 anos, o Corinthians, com total ajuda da parceira MSI, investiu pesado em contratações e só por Tevez, Mascherano e Nilmar desembolsou R$ 112,7 milhões. No fim, apenas os atacantes vingaram onde foram artilheiros do Timão no ano de 2005 e ganharam o Brasileirão daquela temporada sendo os principais jogadores. O volante, entre convocações e lesões, atuou pouco pelo Alvinegro e teve atuação discreta no clube do Parque São Jorge – coincidência ou não os três tiveram uma saída conturbada da equipe paulista.

Os casos mais recentes de contratações milionárias continuam no Estado de São Paulo. Leandro Damião (R$ 42 milhões) e Alexandre Pato (R$ 40,5 milhões) não foram bem em Santos e Corinthians, respectivamente. Criticas das torcidas e confusões com ambas diretorias fizeram os jogadores saírem das equipes de uma forma complicada. Enquanto o ex-santista sofreu com lesões e poucos gols no Peixe, o atual jogador do Chelsea precisou de um pênalti perdido para ter seu nome “queimado” junto ao Timão.

Paulo Henrique Ganso desembarcou no São Paulo em 2012 por R$ 23,9 milhões e desde então não caiu nas graças da torcida são-paulina. Apesar de jogar com frequência no clube, o meia não conseguiu repetir as atuações no Santos que o levaram para a seleção brasileira.

Após um início meteórico no Santos, André foi vendido ao Dínamo de Kiev. Ao retornar ao Brasil, em 2011, foi para o Atlético-MG que pagou R$ 4,9 milhões por 20% do passe do jogador e depois 5,4 milhões de euros pelos 80%, totalizando R$ 19,7 milhões na época. Teve um bom início no Galo e se tornou titular, mas no ano seguinte já começou os empréstimos: retornou ao Santos, em 2013 para o Vasco da Gama. Voltou ao time mineiro em 2014, foi mal onde criou polêmicas extracampo e foi emprestado em 2015 ao Sport. No início de 2016 foi negociado praticamente de graça com o Corinthians.

Giuliano chegou ao Grêmio em 2014 e apesar de ter boas atuações, os R$ 18,6 milhões pagos para contar com o atleta ainda não tiveram jus em campo. Os títulos e regularidades de ser um dos principais atletas que teve quando ainda atuava pelo rival Internacional não fizeram “efeito” no meia.

Luis Fabiano chegou ao São Paulo idolatrado. O clube pagou R$ 17,5 milhões ao Sevilla e no fim saiu muito criticado pela torcida. No entanto, o jogador ganhou um título da Copa Sul-Americana e entrou na história do clube ao se tornar o segundo maior artilheiro do Estádio do Morumbi (171 jogos e 124 gols) e ser o terceiro maior goleador da história do Tricolor (351 jogos e 211 gols).

Marcelo Cirino o atacante do Flamengo encerra a lista das 10 maiores contratações do futebol brasileiro. Comprado por R$ 16,5 milhões em 2015, o atacante teve um primeiro ano conturbado no Rubro-Negro. Com más atuações e polêmicas extracampo, com o chamado “Bonde da Stella”, o atacante tenta começar do zero e viver um novo ano no clube carioca.

1- Tevez- Corinthians: R$ 60 milhões
2- Leandro Damião – Santos: R$ 41,6 milhões
3- Alexandre Pato – Corinthians: R$ 40,5 milhões
4- Nilmar – Corinthians: R$ 27,8 milhões
5- Mascherano – CorinthiansR$ 25 milhões
6- Paulo Henrique Ganso – São PauloR$ 23,9 milhões
7- André – Atlético-MG: R$ 19,7 milhões
8- Giuliano – Grêmio: R$ 18,6 milhões
9- Luis Fabiano – São Paulo: R$ 17,5 milhões
10- Marcelo Cirino – Flamengo: R$ 16,5 milhões

OBS: Apenas valores de compra citados. Valores de custo adicionais não foram inclusos



Jornalista. Como todo torcedor também gosto de dar meus pitacos. Fã da seleção italiana, do Milan e do Arsenal.