A menos de 5 meses da Olimpíada, ministro do Esporte do Brasil vai mudar

ministro do Esporte
Divulgação/PRB

A crise política no Brasil chegou ao esporte. Com menos de cinco meses restando para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro – que começam no dia 5 de agosto -, o comando do ministério do Esporte, órgão do governo federal, tem futuro incerto. Fato é que a pasta deve deixar de ser comandada por George Hilton.

LEIA MAIS:
ZIKA VÍRUS: ATLETAS ESTRANGEIROS DIZEM QUE NÃO HÁ MOTIVOS PARA PÂNICO

O ministério do Esporte era “dado” ao PRB (Partido Republicano Brasileiro). A legenda, no entanto, decidiu nesta quarta-feira (16) deixar a base de sustentação à presidente da República Dilma Rousseff. Com isso, deixou a pasta esportiva à disposição.

A informação foi dada pelo presidente da sigla no país, Marcos Pereira: “Decidimos por unanimidade sair da base do governo da presidente Dilma. Não vemos um norte para situação do país”, durante pronunciamento na Câmara dos Deputados.

E, nos bastidores, já há indicações de um nome para substituir George Hilton como ministro do Esporte: Edinho Silva, secretário de Comunicação Social do governo. Segundo a coluna “Painel FC”, do jornal “Folha de S.Paulo”, Silva já estava trabalhando em algumas missões específicas da pasta esportiva.

George Hilton era ministro do Esporte desde dezembro de 2014. Ele substituiu Aldo Rebelo (do PCdoB), que migrou para o ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação.

Aos 44 anos, Hilton é pastor licenciado da Igreja Universal do Reino de Deus e foi deputado federal pelo Estado de Minas Gerais.



Jornalista, editor do Torcedores.com. Passagens pelos jornais Metro, O Estado de S. Paulo, Jornal da Tarde, Marca Brasil, Agora São Paulo, Diário de S. Paulo e Diário do Grande ABC.