5 atacantes que jogaram no Santos neste século e você esqueceu

Alguns jogadores têm passagens tão fugazes por certos clubes que nem o mais fanático dos torcedores consegue lembrar, depois de algum tempo, que eles passaram por seu time do coração.

Leia também: 5 meias que jogaram no Santos neste século e você esqueceu
5 goleiros que jogaram no Santos neste século e você esqueceu
5 zagueiros que jogaram no Santos neste século e você esqueceu
18 ídolos do Santos nos 18 anos de fila
9 jogadores do Santos-2010 que você não sabe onde foram parar

O Santos está cheio destes casos: quem, em 2016, lembraria que Reginaldo atuou pelo clube neste século?

Abaixo, relembre 5 atacantes que passaram pelo Santos desde 2001 e que, dificilmente, você lembraria “de cabeça”:

reginaldoReginaldo
Entre maio e setembro de 2008 Reginaldo (sim, esse da foto) estava sem clube. Do nada, o Santos o contratou. Entrou em campo exatamente em um jogo, nada fez e foi só. Foi contratado após ser aprovado em testes por Márcio Fernandes, então técnico. Lembrando que aquele Santos quase foi rebaixado.

 

claudio-pitbullCláudio Pitbull
O Santos vendeu Robinho ao Real Madrid e resolveu gastar o dinheiro. Mas com quem? A resposta veio com Luizão e Claudio Pitbull. Foi péssimo em 2005 e deixou o clube depois de apenas um jogo, dispensado ao lado de… Luizão (e de Giovanni, em um marco negativo da história do clube). Luxemburgo foi o pedinte das dispensas.

 

eder cecconÉder Ceccon
Uma das passagens mais obscuras da história do Santos é a de Ceccon. Ele chegou em 2005. Mesmo sites que  registram passagens de jogadores por qualquer lugar do mundo, por mais escondido que seja, não registram a passagem de Ceccon pela Vila. Mas ela existiu, como a foto prova. Em 2006 honrou a Lei do Ex, ao marcar pelo Juventude contra o clube.

 

de-nigrisDe Nigris
Se nos anos 90 o Santos teve o Baez errado, neste século o rótulo de “o errado” ficou com Antonio De Nigris, contratado quando o objetivo era fechar com Aldo De Nigris, seu irmão. Luxemburgo, também responsável por Baez, foi quem contratou – e jura não ter sido “o errado”.

 

magnumMagnum
Mais um da famosa barca do Iraty de Luxemburgo em 2006, Magnum teve um jogo de glória: contra o Bragantino, no Paulista, quando o Santos podia ser campeão por antecipação (não foi) e ele fez dois gols. Mas foi só isso e foi dispensado em seis meses.



Jornalista esportivo.