WTorre desfaz parceria com gestora de shows do Allianz Parque

Divulgação/Facebook Oficial Allianz Parque

A WTorre que ergueu o estádio do Palmeiras rompeu contrato com empresa que ajudava na co-gestão do estádio, a AEG. O acordo duraria 10 anos, mas findou-se com menos de 2 anos.

Leia Mais:

River Plate-URU x Palmeiras: Saiba como assistir ao vivo

Segundo o UOL, a empresa AEG cobrava a WTorre por repasses que estavam atrasados e nunca obtivera resposta da construtora para findar o impasse. A AEG é uma gestora de estádios mundialmente conhecida e gerenciava toda parte institucional do Allianz Parque.

Nenhuma das partes falou oficialmente sobre o assunto. Mas uma empresa acusa a outra de não cumprir o combinado. A AEG alega que não recebe desde julho/15 e cobra uma dívida de mais de R$ 4 milhões.

A WTorre alega que a empresa não cumpre com os contratos firmados em avalizar e trazer receitas provenientes de shows, e outras atrações.

Ao que parece, a ida do show dos Rolling Stones para o Morumbi causou saia justa na relação entre as partes. A AEG organizou todos os shows da banda na América do Sul, porém, quando esperava-se que viria para o Brasil e o show em São Paulo seria no estádio alviverde, as coisas mudaram.

Já a AEG alega que o estádio rival ofereceu mais espaço e preços melhores. As partes devem se pronunciar em breve.

Ao Palmeiras, as receitas provenientes de shows que eram mínimas, agora serão mais escassas. A WTorre informou que já até abriu uma empresa nos moldes da AEG e que concorria com a mesma, inclusive assumindo a gestão da arena para shows a partir de agora.

 



Jornalista. Gosta de abordar sobre futebol e às novidades do mundo na fórmula 1. Atualmente é analista de mídia para Honda S.A.