Tony Parker jogará Pré-Olímpico de basquete com a França e pode vir ao Rio-2016

Reprodução/Facebook Oficial Tony Parker

Apenas uma semana após colocar em xeque sua participação nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, que serão disputados em agosto, o armador do San Antonio Spurs voltou atrás e confirmou que estará presente no torneio classificatório das Filipinas e, em caso de vaga, virá ao Brasil. A informação foi confirmada na última segunda-feira (8), em entrevista ao jornal francês L’Equipe.

LEIA MAIS
Astro do Los Angeles Clippers é multado após agredir roupeiro
Calouro do New York Knicks deixa adversário “perdido” e dá mais uma cravada espetacular na NBA; assista!
NBA: Com fratura no pé, Marc Gasol fica fora por tempo indeterminado e desfalca o Memphis Grizzlies

Um dos principais jogadores da seleção francesa de basquete, Parker havia deixado a possibilidade de não vir ao Rio de Janeiro para acompanhar a esposa na reta final da gravidez do segundo filho do casal. Mas após conversar com a mulher, Axelle Francine, ele disse que estará com o grupo nacional e que seu desejo de representar o país foi importante para a decisão final.

“Eu estarei nos Jogos Olímpicos se nos qualificarmos”, declarou o jogador que afirmou que a permissão foi dada mediante uma importante condição: levar para casa uma medalha olímpica.

O grande sacrifício, como descreveu Tony Parker, que será feito por sua esposa começará a valer em junho, quando o armador deverá iniciar os treinamentos com o grupo francês. Entre os dias 4 e 10 de julho, a França participará do Pré-Olímpico das Filipinas, juntamente com os donos da casa, Canadá, Nova Zelândia, Turquia e Senegal. Em caso de classificação, Parker – após o nascimento do bebê – será a grande referência francesa em busca da medalha olímpica entre os dias 6 e 21 de agosto, no Rio de Janeiro.

Crédito da foto: Reprodução/Facebook Oficial Tony Parker



Jornalista graduado pela Universidade Federal de Viçosa. Tem no esporte uma "paixão não correspondida", já que a habilidade trai na hora de praticar. Se jogar não é o forte, por que não falar sobre?