Seleção Brasileira: Cesar Sampaio revela segredos da Final de 1998

Divulgação/ESPN

Em entrevista a ESPN Brasil, ex-jogador Cesar Sampaio, vice-campeão do Mundo em 1998 pelo Brasil, revelou segredos dos bastidores da decisão. Para Cesar Sampaio, seleção jogou 50% abaixo do esperado, e jogadores não queriam Ronaldo Fenômeno em campo.

Leia Mais 

Cesar Sampaio admite “Era mais gostoso jogar no Palmeiras do que na Seleção”

Cesar Sampaio revelou ao programa ‘Resenha’,  como os jogadores se sentiram ao ver Ronaldo em convulsão e a conversa horas antes da final.

“Nós jogadores eramos contra colocar o Ronaldo para jogar. Todos, os que presenciaram a cena dele entrando em convulsão, todos que viram”, afirmou Sampaio.

“Nós fomos para o Estádio depois do lanche. Ele teve a convulsão logo depois do almoço, e no lanche ele acordou muito mal. Na preleção,todo mundo foi avisado que o Edmundo jogaria. Ele (Ronaldo) foi para uma clínica. Momentos antes do aquecimento, ele nos encontra e começa a dizer – quero jogar, quero jogar, é final de copa do mundo e não sei se vou ter outra oportunidade – isso dentro do vestiário”.

Sampaio destaca ainda que Ronaldo não se lembrava do que ocorrera horas antes (Convulsão) e todos ali estavam preocupados e nenhum jogador queria que ele jogasse. Porém, a comissão técnica e, principalmente, a junta médica deram aval e ele foi pro jogo, mas ninguém estava seguro de que Ronaldo estava bem para jogar.

Houve uma reunião entre Comissão Técnica, médicos, jogadores e até o Ricardo Teixeira (ex-presidente da CBF) estava presente e eles decidiram que Ronaldo iria para o campo, mesmo não estando 100% fisicamente.

A preocupação de Cesar Sampaio e os demais atletas era com a vida de Ronaldo, pois, ninguém tinha ciência do quão grave era a convulsão que Ronaldo tivera “No aquecimento mesmo, ele estava sob efeito de calmante, a movimentação dele estava alterada, dava para perceber que não estava 100%, e a nossa preocupação nem era a final em si, era com a vida dele” comentou Sampaio.

Crédito: Divulgação/ESPN



Jornalista. Gosta de abordar sobre futebol e às novidades do mundo na fórmula 1. Atualmente é analista de mídia para Honda S.A.