Ronda admite torcida por algoz Holly Holm: “Quero ser a única a vencê-la”

Getty Images

Ronda Rousey era considerada a melhor lutadora de MMA do planeta até o UFC 193, evento que aconteceu em 14 de novembro em Melbourne, na Austrália. Na luta principal, a então campeã do peso galo (61kg) feminino da organização foi nocauteada pela compatriota Holly Holm. Acabava, ali, o reinado da ex-judoca olímpica e a invencibilidade da atleta no MMA. Isso não impede, porém, que a antiga dona do cinturão torça para sua algoz. Holm defenderá o cinturão pela primeira vez no UFC 196, dia 5 de março, contra Miesha Tate.

LEIA MAIS:
RONDA ROUSEY SE IRRITA COM FOTO EDITADA: ‘TENHO ORGULHO DE CADA POLEGADA DO MEU CORPO’
HOLLY HOLM, SOBRE RONDA: “ME DÓI VER QUE ELA ESTÁ SOFRENDO”
RONDA DIZ QUE PENSOU EM SUICÍDIO APÓS DERROTA PARA HOLLY HOLM

“Eu preciso dela para vencer. Quero ser a única a vencê-la, então não quero que ninguém tenha a honra de batê-la, exceto eu”, afirmou Ronda em entrevista ao site “TMZ”.

Holly Holm está invicta no MMA profissional. A ex-boxeadora tem 10 vitórias nos 10 combates que disputou nas artes marciais mistas. Ronda, por sua vez, foi derrotada pela primeira vez no MMA pela “Filha do Pastor”. Ao todo, “Rowdy” tem 12 triunfos e uma derrota.

Há, também, outra razão para a ex-campeã apoiar Holly Holm. Miesha Tate, desafiante ao cinturão, é uma velha rival de Ronda. As duas já se enfrentaram em duas ocasiões. Em março de 2012, a ex-judoca olímpica tomou o cinturão de Miesha no Strikeforce. Em dezembro de 2013, nova vitória de Ronda, desta vez, pelo UFC. Elas também foram treinadoras na 18ª temporada do reality show “The Ultimate Fighter” e nutriram grande rivalidade.

Ainda não definida a data de retorno de Rousey ao octógono. Mas o presidente do UFC, Dana White, já afirmou que a ex-campeã enfrentará a vencedora do duelo entre Holly Holm e Miesha Tate em seu próximo compromisso pela organização.



Jornalista, editor do Torcedores.com. Passagens pelos jornais Metro, O Estado de S. Paulo, Jornal da Tarde, Marca Brasil, Agora São Paulo, Diário de S. Paulo e Diário do Grande ABC.