Relembre sete fortes acidentes não fatais na Fórmula 1

Os acidentes são um espetáculo a parte no automobilismo. Muitos deles, infelizmente, são fatais. Como nos casos recentes de Jules Bianchi e Justin Wilson. Outros, porém, o piloto  se salva, mesmo tendo que ficar no hospital por um tempo. Confira aqui cinco acidentes fortes na Formula 1, mas que não foram fatais.

7-Felipe Massa- Gp da Hungria de 2009

Nos minutos finais do Q2 do treino classificatório, uma mola se soltou da Brawn de Rubens Barrichello e acabou acertando a cabeça de Felipe Massa, que passou direto pela curva 4 e acertou a barreia de pneus.  O brasileiro foi removido para o hospital num clima tenso e chegou a ficar em coma induzido.  Massa ficou fora o resto da temporada e voltou no ano seguinte. E nunca mais foi o mesmo

Confira

6- Robert Kubica- Gp do Canadá de 2007

Um dos acidentes mais notáveis dos últimos tempos. Durante uma disputa de posição com Jarno Trulli, o polonês chocou-se fortemente com o muro a 300 quilômetros por hora, atravessou a pista capotando e parou no guard-rail. Kubica não correu a prova seguinte (foi substituído por Vettel, que fez sua estreia), mas se recuperou e no ano seguinte venceu a corrida na mesma pista. Em 2011 sofreu outro forte acidente, mas de rally.

Confira

5- Rubens Barrichello- GP de San Marino de 1994

O trágico fim de semana em Ímola que culminaria com a morte de Senna começaria na sexta feira com Barrichello. O brasileiro passou a Variante Baixa em alta velocidade, atingiu a barreira de pneus e capotou. Apesar do impacto, Barrichello teve apenas uma fratura no nariz, pouco se comparado com o que ia vir. No dia seguinte morreu Roland Ratzemberger, e no domingo Ayrton Senna.

Confira

4-Michael Schumacher- Gp da Inglaterra de 1999

Em 1999. Michael Schumacher passou pelo seu maior susto enquanto piloto da Fòrmula 1.  Durante a volta de apresentação para a corrida em Silverstone, os freios da Ferrari que pilotava  quebraram e o alemão passou reto na Stowe Corner, fazendo-o se chocar na barreira de pneus e quebrando a perna, deixando-o de molho em casa por seis corridas.

Confira

3- Jacques Laffite- Gp da Inglaterra de 1986

A carreira de piloto acabou de forma brusca para Jacques Laffite. O experiente francês, que tinha acabado de bater o recorde de 146 corridas, se envolveu num acidente múltiplo na largada (que envolveu Christian Danner, Piercarlo Ghinzani e Allen Berg) e gerou muita tensão e a interrupção da prova para que Laffite fosse atendido. O francês acabou quebrando os dois pés e se aposentou da Formula 1. Tentou voltar em categorias de turismo, mas sem sucesso.

Confira

2-Gerhard Berger- Gp de San Marino de 1989

Antes de Senna, a Tamburello quase fez outras vítimas. O caso mais notório foi o de Gerhard Berger, que passou reto e bateu violentamente, deixando o carro em chamas. A corrida foi interrompida e o austríaco foi levado ao mesmo hospital e tratado pelos mesmos médicos que, mais tarde, tentaram salvar Senna. Berger ficou fora por uma corrida e, assim como Felipe Massa, nunca mais foi o mesmo.

Confira

1-Nikki Lauda- Gp da Alemanha de 1976

Provavelmente um dos piores acidentes não fatais que a Fórmula 1 presenciou. Sob chuva, no temido circuito de Nordschieife (que Jackie Stewart carinhosamente chamava de Inferno Verde). Lauda foi obrigado a entrar nos boxes e saiu a toda velocidade tentando recuperar posições e alcançar James Hunt, que liderava a corrida. O austríaco tocou uma zebra e perdeu o controle do carro, se chocando contra o muro. O carro imediatamente pegou fogo, e depois ainda foi atingido por Brett Lunger e Harald Eri. Com a ajuda de outros pilotos, Lauda foi retirado do carro e levado ao hospital. Lauda voltou a correr no mesmo ano. E nos anos seguintes conquistou  mais dois títulos. O acidente e a recuperação são mostrados no filme Rush-No Limite da Emoção

Confira