Relembre 8 saídas polêmicas de jogadores do Santos

Divulgação/São Paulo

Talvez se concretize nesta quinta-feira. Pode ser amanhã, quando a janela de transferências local fecha. Pode não acontecer. O fato é: se Ricardo Oliveira se transferir para a China, será mais uma saída polêmica de jogador do Santos ocorrida nos últimos anos.

Leia também: Sem Ricardo Oliveira, Santos relaciona 23 para duelo com Mogi

Ricardo Oliveira, se sair, deixará o clube com a temporada já iniciada por apenas um motivo: dinheiro. Para alguém que chegou ao Santos com contrato de risco e, com gols, teve o acordo renovado e aumento salarial, além de ter chegado ao clube para alegrar o filho, a saída não seria das mais aceitáveis pelos torcedores.

O atacante, já com 35 anos, fez carreira nos Emirados Árabes Unidos com salário milionário. Aceitar acabar com suas chances na seleção brasileira, para a qual voltou aós quase 10 anos, seria estranho. E polêmico. Como foram outras oito saídas de jogadores do Santos em tempos recentes:

Robinho – 2005
O atacante deixou o clube pela primeira vez em 2005, com 21 anos, sonhando em ser o melhor do mundo no Real Madrid. Para sair do Santos, parou de treinar durante um mês, forçando o clube a liberá-lo. Foi perdoado tempos depois sob a alegação de que foi influenciado por seu empresário, Wagner Ribeiro, e de que era muito jovem.

Robinho – 2015
O atacante deixou o clube em sua terceira passagem para faturar na China. O problema para o clube foi que o time estava no começo de sua campanha no Brasileiro e com elenco diminuto. Por mais que a saída tenha ajudado Gabriel a despontar de vez, o Santos sentiu a falta de elenco no final da temporada, quando “entregou” a vaga no G4 do Brasileiro e perdeu a final da Copa do Brasil. A polêmica foi potencializada em 2016, quando preteriu o Santos para ganhar salário maior no Atlético-MG.

Divulgação/Santos
Divulgação/Santos

Leandro Damião – 2015
Damião foi péssimo no Santos em 2014. Só que custou R$ 40 milhões ao clube. Muito antes de qualquer batalha na Justiça, o Santos o emprestou para o Cruzeiro para ver se conseguia convencer algum clube europeu a pagar caro pelo jogador. Mesmo com Damião hoje no Betis e com acordo feito, a briga parece não ter acabado.

Ricardo Saibun/Santos FC
Ricardo Saibun/Santos FC

Arouca – 2015
O volante prometeu, em dezembro de 2014, que não entraria contra o Santos na Justiça por atraso de salário. Em janeiro mudou de ideia, deixou o clube e foi para o Palmeiras. Seu primeiro jogo em Vila Belmiro foi feito sob gritos de “traidor” e vaias a todo toque na bola.

Crédito da foto: Reprodução/Facebook
Crédito da foto: Reprodução/Facebook

Neymar – 2013
A saída de Neymar em si não foi polêmica – todos sabiam que sua hora de ir para a Europa estava chegando. Mas o contexto completo abre espaço para polemizar: em 2011, o então presidente Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro, o Laor, Neymar e seu pai prometeram que o jogador não sairia do Santos antes da Copa de 2014. Não foi bem assim.

No amigo secreto, quem não pode se tirar

Paulo Henrique Ganso – 2012
O meia forçou sua saída do clube em setembro de 2012. Além de ir para um rival, teve fotos com a camisa do São Paulo feitas quando ainda era jogador do Santos em contrato. Claro, toda a polêmica já havia começado em 2011, quando reclamou de não ter sido valorizado – durante período lesionado.

Divulgação/São Paulo
Divulgação/São Paulo

Wesley – 2010
A saída de Wesley para o Werder Bremen foi polêmica por um simples motivos: foi a primeira venda de jogadores do “Santos de 2010”, aquele que o presidente Laor chamava de “Cirque du Soleil”. Segundo Laor, o circo vendia o espetáculo, não os artistas. Wesley foi o primeiro dos “artistas” a ser vendido.

Crédito de imagem: Divulgação/São Paulo
Crédito de imagem: Divulgação/São Paulo

Rodrigo Souto – 2010
O volante deixou o Santos para jogar pelo São Paulo em 2010 sob a alegação de que teria “mais visibilidade”. Foi mal no Tricolor e foi para o Japão. Depois, passou por Botafogo, Náutico, Figueirense e Penapolense, perdendo visibilidade a cada transferência.

Rodrigo Souto



Jornalista esportivo.