Qual escola seu time seria no Carnaval de São Paulo?

Foto: Getty Images

Carnaval e bola: quase todo brasileiro gosta da festa e tem seu time de futebol, certo? Mas e se essas paixões se unissem?

Leia também: 10 uniformes que também servem de fantasia de Carnaval
13 sambas-enredos futebolísticos para quem curte Carnaval e bola

Com o fim do Carnaval de São Paulo, já é possível se ter uma ideia. Se o seu time fosse um escola paulistana, qual ele seria? Aquela que vai cheia de alegorias, promessas e não sai do meio de tabela? Ou a que faz o samba protocolar e está sempre lá em cima?

Veja as comparações, pela ordem de classificação do Carnaval paulistano (1° a 14°):

Palmeiras – Império da Casa Verde
Associação fácil: a coroa de campeão é verde. O Palmeiras ganhou por muito pouco a Copa do Brasil, levando um baque no último minuto do tempo normal (o gol de Ricardo Oliveira), mas vencendo nos pênaltis o Santos. Já a Império bateu suas rivais por apenas 0,3 pontos, apertado mas o suficiente para a festa.

Reprodução
Reprodução

Sport – Acadêmicos do Tatuapé
Tanto Sport como a escola do Tatuapé viviam, até passado recente, passando pela segunda divisão. De repente, além de se estabilizarem na divisão principal, começaram a brigar pela parte de cima da tabela. O Sport foi 6° em 2015, à frente de muitos gigantes da bola. A Tatuapé pulou de 12° para vice em um ano. Muito grande ficou para trás.

São Paulo – Mocidade Alegre
A Mocidade foi tri em 2012, 2013 e 2014. O São Paulo foi tri em 2006, 2007, 2008. São os mais recentes a conquistarem três títulos seguidos no Carnaval/Brasileiro. Além disso, se mantêm no “G4”: A Mocidade vinha de vice e ficou em 3° este ano, enquanto o São Paulo foi 4° em 2015 e vice em 2014.

Corinthians – Vai-Vai
Campeão em 2015, caiu um pouco de produção no começo de 2016, mas segue forte. A frase anterior descreve tanto Corinthians, que perdeu seus melhores jogadores mas segue vencendo no Paulista, como a Vai-Vai, que vinha de título e se manteve entre as melhores, ficando em 4°.

Flamengo – Vila Maria
Ambos estabilizados na primeira divisão, mas com apenas um conquista recente dentre campanhas de meio de tabela ou, no máximo, “G4”. A Vila Maria foi campeã em 2014, depois 10° e agora 5°. O Mengo ganhou o Brasileiro em 2009, depois foi apenas 14°, 4° em 2011 e, agora, vem de um 12°.

Chapecoense – Dragões da Real
Ambos chegaram à primeira divisão há pouco tempo mas nunca passaram vergonha, e sim deram orgulho a seus torcedores: a Dragões sempre ficou entre 5° e 9°, enquanto a Chape teve um 14° e um 15°, mas sem sustos de rebaixamento.

Internacional – Gaviões da Fiel
Todo ano é o famoso “agora vai” – mas nunca vai, ou ao menos não vai faz tempo. A Gaviões venceu em 2007, mas não sai do meio de tabela desde então. O Inter não vence desde 1979 o Brasileiro, pega um G4 de vez em quando, mas fica nisso.

Atlético-MG – Águia de Ouro
O único título de Brasileiro visto no século foi o da Série B para o Galo. Para a Águia, neste século só o Acesso paulistano teve taça para a escola, em 2009. Na primeira divisão ambos vão bem quando estão, mas falta o título.

Santos – Nenê de Vila Matilde
Desde 2013, a Nenê fica entre 7° e 12° na primeira divisão paulistana. Desde 2009, o Santos fica entre 7° e 12° na primeira divisão brasileira.

Grêmio – Acadêmicos do Tucuruvi
O Grêmio foi campeão brasileiro em 1996. Desde então, o máximo que alcançou foram vices. A Tucuruvi está desde 1998 ininterruptamente na primeira divisão do Carnaval. O máximo que conseguiu foi um vice.

Cruzeiro – Rosas de Ouro
Muitas glórias recentes e, de repente, uma temporada para esquecer. A Rosas de Ouro foi campeã em 2010 e vinha de três vices e um 3° lugar. O Cruzeiro vinha de dois títulos brasileiros, antes da fraca temporada passada.

Botafogo – Unidos do Peruche
Muitas glórias na década de 60 – o Botafogo levou quatro cariocas, a Peruche cinco carnavais paulistanos. Desde então: poucas glórias, quedas. E o título da segunda divisão de 2015. Para ambos.

Fluminense – Pérola Negra
Três rebaixamentos recentes: Fluminense tem, Pérola Negra tem. Conseguir sair da segunda divisão rapidamente, sem sofrimento: Fluminense conseguiu, Pérola Negra conseguiu. Cada um de seu jeito, mas não ficam lá por muito tempo.

Vasco – X-9 Paulistana
O Vasco foi campeão da Libertadores nos anos 90 (1998), assim como a X-9 foi campeã naquela década. Mas, desde então, a qualidade diminuiu, culminando com o rebaixamento. O Vasco no Brasileiro, a X-9 no Carnaval.

Foto: Getty Images



Jornalista esportivo.