Santos: Presidente fala sobre o caso Ricardo Oliveira; confira

Foto: Divulgação/ Flickr Oficial do Santos

Nesta quinta (25), o presidente do Santos fez duras críticas sobre o assédio dos chineses ao atacante Ricardo Oliveira. Modesto Roma garantiu ao torcedor santista que o atacante não saí por menos de 12 milhões de euros.

“Aqui no Santos ninguém saí por uma tigela de arroz”, falou o presidente Santista ao programa do Elia Júnior na Bradesco Esportes nesta quinta (25). O mandatário do Peixe citou uma cláusula da Fifa que proíbe assediar jogadores.

LEIA MAIS: 
Mercado da bola 2016: agente mantém esperança que Ricardo Oliveira troque Santos pelo Beijing Guoan

“A cláusula 18.3 é muito clara. Trata de assédio ao jogador. Enviamos um ofício ao clube chinês e à Fifa. Aqui não é casa da Maria Joana que qualquer um chega leva quem quer e fica todo mundo abanando o rabinho. Com o Santos não”, desabafou Modesto.

Para a negociação avançar, o Santos pede exatamente 12 milhões de euros e não aceitará reduzir o valor. Ao ser informado que o empresário do jogador teria dito que aceitariam uma quantia menor Modesto não mediu palavras. “Se ele disse isso, ele é mentiroso. Eles podem levar o Ricardo a hora que quiserem, desde que paguem o que o Santos definiu”.

Modesto Roma também não se mostrou preocupado com um eventual “corpo mole” por parte do atacante que, caso não saia, continuará recebendo algo em torno de R$ 150 mil ao contrário dos quase R$ 2 milhões oferecidos pelos chineses.

“Ricardo é um homem de uma moral, de uma dedicação, e profissional. Ele é exemplar. Quem não o conhece direito não faz noção da pessoa que ele é. É um homem seríssimo. Não fará corpo mole. Ricardo é um homem sério, não um canalha !”

Segundo Modesto, o costume dos chineses é pressionar e seduzir os jogadores pelo alto salário de modo que o atleta dê um jeito de se resolver com o clube e conseguir ser liberado. “Querer fazer pressao no jogador para o jogador quebrar galho aqui nao vai fazer.”

Foto: Divulgação/ Flickr Oficial do Santos