Opinião: São Paulo conquista a Libertadores Sub-20, e agora?

São Paulo
Crédito de imagem: Divulgação/ Site oficial do São Paulo

Com muita luta e muito suor, o São Paulo sagrou-se campeão da Copa Libertadores Sub-20, numa partida duríssima contra o Liverpool, do Uruguai. A garotada do Tricolor, passou por tudo o que uma Libertadores pode oferecer: catimba, brigas, jogadas duras, entradas violentas. Mesmo após um título dessa magnitude, fica a pergunta: onde esse time pode chegar?

LEIA MAIS:
São Paulo: Confira o gol do título da Libertadores sub-20

O São Paulo, é um dos maiores formadores de craques no Brasil. De suas categorias de base, saíram jogadores do porte de Kaká, Rogério Ceni, Juninho Paulista, Hernanes, Breno, e mais recentemente, Lucas Moura.

Porém, o grande problema, é que de lá, tivemos promessas que o mundo do futebol depositou muita esperança, e não vingaram. O caso mais emblemático, é do meia Harison. Em 2001, ele era titular no meio campo do time. Seu reserva imediato, era ninguém menos que Kaká (na época, ainda era Cacá).

Muiots apostavam que Harison teria um futuro promissor no futebol, mas o que se viu foi um jogador mediano, com passagens por clubes medianos. Outro grande exemplo é o meia Montezine, que jogou até 2000 nas categorias de base do São Paulo. Meia com passe preciso e técnica refinada, era visto como um futuro camisa 10, até mesmo da seleção brasileira. Mas o futuro não foi generoso com Montezine. Apos passagens apagadas pela Europa, foi se encontrar no Catar, onde se naturalizou, e disputou partidas pela seleção local. Pouco, pra quem tinha um grande potencial.

E é exatamente para evitar essas decepções, que o São Paulo terá que ter cuidado com suas jóias. Vencedor de quatro títulos em apenas um ano, é inegável que esse time possui talentos. Lucas Fernandes, meia, possui muita capacidade nas duas pernas.

David Neres, inferniza as zagas adversárias com sua velocidade. Banguelê, é um volante forte e brigador, com boa saída de bola. Desse time, ainda podemos destacar outros jogadores, como o lateral esquerdo Inácio, o volante Artur, e os atacantes Joanderson e Luiz Araujo. Tem também o zagueiro Maidana, pivô de um escândalo que culminou na saída do ex presidente do São Paulo, Carlos Miguel Aidar. Todos esses citados, bem trabalhados, podem render algo no futuro. Talvez, nesse time, o único pronto para enfrentar o desafio no time principal, seja o volante Banguelê. Os demais ainda precisam de alguma “lapidação”.

Paciência será a palavra chave, que irá definir o futuro dessa molecada. Numa época de empresários, negociações obscuras, entre outros problemas, todo cuidado será pouco, para evitar que aconteça o mesmo que aconteceu com Oscar, que acionou o São Paulo judicialmente para sair do clube. Talvez a necessidade, faça o São Paulo alçar alguns desses garotos ao time principal. Apesar de ser um risco enorme, pode dar certo, como deu com o garoto Lucas, hoje no PSG.

Uma coisa é certa: esse time pelo menos possui alma de campeão.



Estudante de jornalismo, apaixonado por esportes, principalmente automobilismo, tênis e NBA. E o futebol? Bem, o futebol ultrapassa a barreira da paixão. É uma verdadeira obsessão. Nas horas livres, além de salvar o mundo (mentira), estou sempre escrevendo. Escrever é uma arte, e eu sou um artista.