Opinião: Novo livro de Jamil Chade mostra como a CBF e a Fifa enriquecem destruindo o futebol

Crédito da foto: Reprodução/site oficial da Editora Objetiva

Jamil Chade nos avisa logo no início de “Política, Propina e Futebol: Como o ‘Padrão Fifa’ ameaça o esporte mais popular do planeta” que este não se trata de um livro sobre futebol. De fato, há poucas menções a bola rolando, mas muitas sobre quem realmente a faz rolar, como por exemplo, a CBF.

LEIA MAIS:
OPINIÃO: ‘ALEX, A BIOGRAFIA’ É UM LIVRO DIGNO DE UM CAMISA 10

Entre envelopes polpudos contendo milhares de dólares para compra de votos e propinas e estádios que se transformam em “elefantes brancos”, o livro ratifica e aprofunda informações que o jornalista investigativo escocês Andrew Jennings já havia mencionado em “Jogo Sujo: o mundo secreto da Fifa” e em “Jogo Cada Vez Mais Sujo: o Padrão Fifa de Fazer Negócios e Manter Tudo em Silêncio”, ao mesmo tempo em que adentra nos bastidores do cenário nacional do futebol.

Para os brasileiros, um dos temas que mais chama a atenção é a venda da Seleção Brasileira por parte da CBF, em um negócio fechado por Ricardo Teixeira antes de sua renúncia da presidência da entidade, em 2012. Em documentos obtidos pelo jornalista do O Estado de São Paulo, é possível verificar que as restrições comerciais impostas pela empresa International Sports Events (ISE) obrigam o técnico a utilizar jogadores mediante o seu valor de marketing. Este critério também é utilizado nas substituições. Ou seja, o aspecto técnico é desconsiderado, o que pode justificar alguns resultados em campo.

O superfaturamento de obras para a Copa do Mundo de 2014 também é abordado e Jamil Chade mostra que esse foi um torneio que só acabou para a Fifa. Para os brasileiros, só vai terminar depois de pagarmos aquele que foi o Mundial mais caro da história.

Se por um lado vemos que a justiça começou a ser feita em maio de 2015 com a operação que resultou na prisão de cartolas do futebol mundial, entre eles José Maria Marin, as revelações feitas por Jamil Chade aprofundam o sentimento de afastamento dos torcedores em relação à Seleção Brasileira, que ganharam nos vários casos de corrupção envolvendo a CBF mais um argumento para a perda de interesse nos jogos do Brasil.

Assim como os livros de Andrew Jennings, “Política, Propina e Futebol: Como o ‘Padrão Fifa’ ameaça o esporte mais popular do planeta” dá nojo. Não por ser ruim. Muito pelo contrário. É um exemplo de jornalismo investigativo bem feito, o que o torna imperdível. Mas é nojento porque vemos a cada página virada a estrutura putrefacta que sustenta os esportes, composta por uma minoria que os usa para benefício próprio, sem o mínimo interesse pelo potencial de desenvolvimento social, cultural e humano que podem ter.

“Política, Propina e Futebol: Como o ‘Padrão Fifa’ ameaça o esporte mais popular do planeta”
Autor: Jamil Chade
Editora: Editora Objetiva
Data de publicação: 18 de novembro de 2015 (1ª edição)
Número de páginas: 336

Crédito da foto: Reprodução/site oficial da Editora Objetiva