Opinião: Momento psicológico e finalizações definem o que foi o clássico entre Corinthians e São Paulo

Duas expressões definem o que foi o clássico deste domingo (14) na Arena, em Itaquera: Momento psicológico e finalizações. Elas se aplicam perfeitamente ao desempenho de Corinthians e São Paulo no jogo encerrado há pouco. Vou dividir este texto em duas partes, focando em cada clube para uma melhor exemplificação.

Primeiramente, os vencedores. O Corinthians, embora tenha se ressentido do calor na segunda etapa, vem de um momento melhor, mais tranquilo e sem cobranças dentro de campo. Isso faz com que o futebol em campo renda melhor e não haja necessidade de um jogo feio para conquistar resultados. Nem mesmo o decantado pragmatismo de Tite (onde se convenciona dizer que 1 a 0 é goleada) fez com que o alvinegro tivesse uma postura diferente de seu normal.

O Timão buscou o resultado e se impôs em casa, aproveitou os erros são paulinos e em duas finalizações certeiras a gol resolveu a parada e somou mais três pontos, que além de manter a equipe na liderança de seu grupo, injetam uma boa dose de confiança para o jogo de quarta-feira diante do Cobresal, na estreia na Copa Libertadores.

Agora, os derrotados: O São Paulo entrou em campo ainda carregando nos ombros o peso dos 6 a 1, e isso ficou nítido a cada dividida ríspida, nos cartões acumulados no primeiro tempo e na falha bisonha de Lucão, que provavelmente deve estar nos últimos dias dele no Tricolor. Não falo isso por ele ser um mau jogador, muito pelo contrário. Porém, as falhas principalmente nos jogos recentes contra o Corinthians são quase que uma indicação que a “porta da rua é serventia de casa” para ele.

Outra coisa que já falei nesta semana que passou e volto a tese é que o time do São Paulo peca nas finalizações. O time achou um gol contra o César Vallejo na última quarta e novamente teve muitos chutes que tiveram outra direção que não o gol de Cássio. Esta é uma questão que Edgardo Bauza precisa atacar com urgência, sob pena de um mau começo de campanha na Libertadores, uma vez que quarta-feira (17) já tem jogo no Pacaembu contra o The Strongest (BOL).

Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians