Opinião: Aparecerá um novo Federer no circuito?

Crédito da foto: Reprodução/ Facebook Oficial Roger Federer

Ao longo dos últimos anos, muitas pessoas no mundo do tênis têm procurado o próximo grande campeão. Tem sido uma busca difícil, pois os recém-chegados não estão nas primeiras prateleiras da ATP.

LEIA MAIS:
13 fatos que provam que Roger Federer é o maior tenista de todos os tempos

Jogadores como Kei Nishikori, Milos Raonic e Grigor Dimitrov estiveram há algum tempo nos holofotes de jovens prodígios, mas em seus vinte e poucos anos não deslancharam como o circuito vendia, não atingiram o ‘Big Four’ (são os quatro melhores há algum tempo no circuito, Federer, Nadal, Djokovic, Murray), no entanto, mantém-se no top 10.

É difícil de acreditar mas Novak Djokovic e Andy Murray são apenas três ou quatro anos mais velhos do que esses caras. Pelo fato de não conseguirem atingir os melhores colocados do ranking, muitos especialistas colocam como a “geração perdida” do tênis. A safra é boa, mas, são ofuscados pelo grande quarteto. Djokovic, Murray, Federer e Nadal.

Com este pensamento em mente, muitos olham para uma geração ainda mais jovem de jogadores. Nick Kyrgios, Alexander Sverev Jack Sock, Borna Coric, Dominic Thiem e Thanasi Kokkinakis são alguns dos jovens prodígios. São todos talentosos, com tão pouca idade, e ao mesmo tempo, para não enfrentar os quatro melhores em toda carreira.

Mas esses jogadores podem ser os próximos grandes nomes do jogo?

Temos sido verdadeiramente abençoados com as últimas épocas (de ouro) do tênis masculino. Quando Pete Sampras se aposentou ninguém pensou que iria ver outro jogador dominante quanto, mas, em seguida, Roger Federer chegou e esmagou todos os que duvidaram. Então Rafael Nadal começou a emergiu como um adolescente e dominou o lado, do saibro, e às vezes ultrapassando, Federer em outros pisos.

Recentemente, Djokovic tem sido a força dominante no jogo e está se lançando para bater recordes de Federer e Nadal. Com os três nomes em alta, houve diversas finais memoráveis.

A história diz que outros grandes jogadores vão surgir mas parece impossível que uma final entre Kyrgios e Thiem em Wimbledon pode vivenciar – em quesito qualidade – a uma final Federer e Nadal.

Talvez não seja justo colocar tantas expectativas sobre essa geração. O tempo dirá se os meninos se tornaram grandes jogadores. No entanto, todas as eras chegam ao fim e quando a geração “Big Four” chegar, parece possível que um declinou no jogo irá ocorrer.

A pior coisa que pode acontecer é que essa geração de jovens jogadores tornarem-se estagnada. John McEnroe declarou recentemente em uma entrevista para BBC, que quando seu rival Bjorn Borg aposentou-se, perdeu a motivação e seu jogo caiu. Quando o “Big Four” aposentar, os mesmos jogadores devem ver como uma janela de oportunidade para tornarem-se os melhores do mundo.

A dúvida é: será que esses jovens podem produzir a qualidade do tênis que Federer, Nadal, Djokovic têm, no entanto, esperamos que eles intensifiquem seus jogos nos próximos anos. Muitos atletas desse grupo declararam que uns motivam aos outros há se tornarem melhores jogadores. E esperamos que rivalidades divertidas possam emergir dentro desta nova geração jovem. E que todos queiram ser o próximo grande nome do jogo. Se eles quiserem saber como chegar lá, todos nós sabemos há quem eles podem pedir conselhos.