Jogador do Santos afirma: “pode, sim, tomar um vinho, mas sem exagero”

Flickr/Santos

O volante Renato é um dos jogadores mais experientes do Santos. Aos 36, o atleta sabe que cuidar da forma física foi um dos grandes motivos para que ele pudesse jogar bem até esta idade. Mesmo assim, ele afirma: não há o menor problema em consumir bebidas alcoólicas.

LEIA MAIS:
MERCADO DA BOLA 2016: SANTOS JÁ TEM DATA PARA DEFINIR O RETORNO DE ROBINHO
ZAGUEIRO DE TIME ARGENTINO ENTRA NA MIRA DO SANTOS
VÍDEO: GABIGOL APROVEITA FOLGA E JOGA ALTINHA COM CACHORRO ‘BOLEIRO’ NA PRAIA

“Sempre falei que pode. No Brasil falam que jogador não pode beber. No Sevilla, quando cheguei, davam vinho até no dia do jogo. Claro que não íamos tomar uma taça inteira, mas liberavam cerveja, também, quando jogávamos fora de casa, uma ou duas. É o pensamento. O profissional tem de ter essa personalidade e se controlar. Sabemos que não podemos beber todo dia, porque vamos ser prejudicados. No fim de semana, com a família, pode, sim, tomar um vinho, mas sem exagero”, afirmou o atleta do Peixe em entrevista à Rede Globo.

“Tem de se cuidar. Principalmente nós, que já passamos dos 30 anos. Aprendi desde quando joguei no Sevilla, na Europa. Eles se cuidam muito. Procurei levar isso para minha vida, sempre fazendo atividade nas férias. O brasileiro não dá tanta importância a isso, mas ajuda”, completou.

Apesar de admitir que gosta de tomar o vinho com a família, Renato afirma que, diferentemente de outros atletas, ele não toma refrigerante. O motivo? Uma promessa feita para que o filho se recuperasse de uma doença.

“Parei de tomar refrigerante por causa de uma promessa que fiz para o meu filho se recuperar de uma pneumonia grave. Fiquei um ano sem tomar. E ele melhorou. Eu me sentia muito bem e acabei levando isso para os outros anos. Não sinto falta”, contou.



Jornalista, editor do Torcedores.com. Passagens pelos jornais Metro, O Estado de S. Paulo, Jornal da Tarde, Marca Brasil, Agora São Paulo, Diário de S. Paulo e Diário do Grande ABC.