Há 10 anos, Inter iniciava a caminhada rumo ao primeiro título da Libertadores

Foto: Divulgação/Inter.

Depois de uma espera que durou 13 anos, o Inter voltou a disputar a Copa Libertadores na noite do dia 16 de fevereiro de 2006. Diante do Maracaibo, da Venezuela, os comandados de Abel Braga escreveram a primeira página de uma história que mais tarde se eternizaria entre todos os colorados. Mas não houve facilidade na estreia, que nesta terça-feira (16) completa 10 anos.

Com o seu uniforme número 2, o colorado se apresentou todo de branco para a jornada testemunhada por quase 35 mil pessoas que lotaram o estádio do Maracaibo. Após um primeiro tempo morno e de muito estudo entre as duas equipes, o intervalo fez bem para os times. A volta para a segunda etapa indicou um novo jogo, repleto de alternativas e de situações de gol. Logo aos 3 minutos, o lateral-direito Ceará aproveitou um rebote da zaga e abriu o placar para o Inter.

Com a vantagem no placar, o Inter soube administrar o jogo e parecia que nada alteraria aquele satisfatório placar de 1×0 para os visitantes. Mas aos 43 minutos do segundo tempo, uma falta na lateral da área mudou o destino da partida. Clemer espalmou para o meio e Maldonado empatou o jogo. O empate em 1×1 no primeiro jogo levantou dúvidas sobre a equipe de Abel Braga, mas elas não se sustentaram ao longo de uma brilhante campanha que culminou com o título.

Ficha técnica:

Maracaibo: Angelucci; Héctor Gonzáles, Bovaglio, Fuenmaryor e Martinez (Yori); Pedro Fernandez, Andree Gonzáles, Garcia (Figueroa) e Beraza; Cásseres (Guerra) e Giancarlo Maldonado. Técnico: Carlos Maldonado.

Internacional: Clemer; Ceará, Bolívar, Fabiano Eller e Rubens Cardoso; Fabinho, Edinho, Tinga (Jorge Wagner) e Michel (Adriano); Iarley (Perdigão) e Fernandão. Técnico: Abel Braga.

Gols: Ceará (I), aos 3min20seg do segundo tempo, Maldonado (M), aos 43min20seg do segundo tempo.

Cartões amarelos: Fernandez, Garcia (M), Fabinho, Rubens Cardoso (I).

Arbitragem: Pedro Ramos, auxiliado por Alfredo Intiago e Alberto Muzo (trio do Equador).

Local: Estádio José Pachencho Romero, em Maracaibo, Venezuela.



Jornalista formado pela PUCRS em agosto de 2014. Fã de esportes, sobretudo tênis. Colorado por paixão, jornalista por vocação e tenista por opção.