Fala, Muricy! Veja o que Flamengo precisa melhorar após revés em clássico

Gilvan de Souza/Flamengo

Na volta a São Januário após 11 anos, o Flamengo não teve motivos para comemorar ao ser derrotado pelo Vasco por 1 a 0. O revés escrito por Rafael Vaz aos 45 minutos do segundo tempo marcou o primeiro revés oficial da era Muricy Ramalho na Gávea.

LEIA TAMBÉM:
Apesar de derrota, Flamengo pode complicar vida do Vasco no Carioca; entenda
Vasco 1×0 Flamengo: assista ao gol da vitória cruz-maltina no clássico
Nas redes sociais, Vasco manda provocação ao Flamengo: ‘voltem sempre’

Em outros tempos, um resultado negativo como esse, principalmente se tratando de clássico, tiraria o treinador do sério na entrevista coletiva. Mais equilibrado agora, Muricy teve calma para analisar o jogo como todo, mas sem esconder a frustração com o que a equipe não fez em campo.

Confira a opinião de Muricy sobre o clássico:

Desempenho como todo
Esperava um pouco mais do Flamengo, principalmente no segundo tempo. O Vasco acertou, levamos gol, que é uma jogada marcada, bola na área. Faltou um pouquinho de atenção, mas é isso, dentro do normal do nosso time para um começo de temporada.

Falha da defesa?
Até aquele momento, o Juan e o Wallace ganharam todas, a linha não estava bem formada, mas é coisa de futebol, momento de cansaço da partida pode acontecer. Temos quer corrigir. Não tínhamos sofrido gol ainda (de cabeça), estava muito bem treinado, inclusive com o Atlético-MG, que foi um time que cabeceou muito. Última bola do jogo, jogadores cansados, não dá para fazer análise.

Calor
Sentimos muito o calor no segundo tempo. Não retemos a bola, o jogo até ficou chato, lento, estava caminhando para 0 a 0.

Posse de bola
Deixamos a desejar, não jogamos como nas outras vezes. Não jogamos com a posse de bola, que é uma coisa boa nossa. A nossa transição foi muito ruim, um jogador longe do outro. Temos que melhorar isso.

Criação
A nossa criação também não foi boa. Não chegamos com bola dominada. A gente costuma ir muito à frente com bola dominada, com Arão, os jogadores de meio de campo. Não fomos. A gente devia fazer mais do que fez. Mas tudo isso dá para corrigir.

Curtiu a matéria? Siga o autor no Twitter: @fontes_matheus.
Facebook: Matheus Martins Fontes.

Foto: Gilvan de Souza/Flamengo



Esportista de hobby, mas jornalista de profissão. Trabalhou como repórter do O Estado de S. Paulo, Revista TÊNIS. Tênis Virtual e CurtaTÊNIS em coberturas nacionais e internacionais de grandes eventos.