Cláudio Caçapa fala sobre sua volta a Lyon

Cláudio Caçapa apareceu para o futebol em 1999, na campanha vice-campeã brasileira do Atlético-MG naquele ano e teve passagens por Cruzeiro e Avaí no Brasil, mas o clube pelo qual marcou sua história é o Lyon, onde integrou uma geração vencedora (com sete títulos franceses consecutivos) ao lado de Cris, Fred e Juninho Pernambucano.

O ex-defensor voltou a Lyon para ser auxiliar técnico de Bruno Genésio e em conversa com o diário Lance, ele revelou que sonha ser treinador e da alegria que sentiu ao regressar a um lugar marcante em sua carreira.

“Estava trabalhando na Arábia Saudita como auxiliar técnico do Al-Qadisiyah, junto com o Alexandre Gallo, e recebi um telefonema do empresário do Juninho Pernambucano dizendo que o presidente do Lyon pediu para ele entrar em contato comigo para saber se eu tinha interesse em assumir a posição. Eu, prontamente, disse que sim! A negociação foi muito rápida e eu gostaria mesmo de voltar. Eles Me ligaram, fizeram a proposta e eu aceitei. Depois de três ou quatro dias já estava na França”, disse Caçapa, que falou sobre as diferenças entre as duas passagens dele pelo Lyon.

“É um clube mais profissional em todas as áreas, é muito moderno, tem um estádio muito bonito, que comporta 60 mil pessoas, um dos estádios mais bonitos da Europa. Já era um sonho, já era uma vontade muito grande que eu tinha de voltar a morar na Europa, até porque passei muitos anos aqui, então já estava com saudades. Quando eu recebi o telefonema não tinha nem como pensar duas vezes. Eu voltei no melhor momento, da inauguração do novo estádio, o Stade des Lumières”, comentou.

O responsável por trazer Caçapa de volta ao clube é o presidente Jean Michel Aulas, que comandava o clube quando Claudio era jogador e o mineiro não esconde a admiração reciproca.

“Temos uma afinidade, temos contato. Ele é o presidente já há quase 30 anos e foi meu presidente quando vim para o Lyon como jogador. Eu já ouvi dele que tem um carinho muito grande por mim e quando eu cheguei de novo ele disse: ‘Eu te disse que você voltaria um dia’. Eu fiquei muito feliz com essas palavras, é claro. É um presidente presente, está sempre com a gente”, frisou.

Sobre o fato de o PSG estar com uma grande dianteira nesta temporada, Caçapa acha possível alcançar os parisienses, desde que o Lyon ajuste alguns detalhes.

“Competir com o PSG de igual para igual é muito difícil. Acho que o Paris, se disputasse qualquer liga, seria um dos favoritos, senão o favorito. Aqui na França eles são os favoritos a tudo. É lógico que ele (o clube) não merece estar onde está, isso é certo. Eu acho que são alguns detalhes que precisamos corrigir tanto da parte técnica quanto da parte tática praa que a gente possa acertar o time. O Lyon é um clube para brigar por títulos, mesmo que tenha o PSG, precisamos jogar para estar lá no topo, com certeza”, concluiu.

Foto: Site Oficial do Olympique Lyonnais