Aranha lamenta ainda sofrer racismo e diz ser chamado de “Branca de Neve”

Aranha
Foto: Ivan Storti/Divulgação Santos FC

O goleiro Aranha virou uma das maiores vítimas do racismo no futebol brasileiro com o caso ocorrido na Arena do Grêmio em 2014 quando foi ofendido por torcedores do time gaúcho. Hoje, o jogador fala que segue sendo alvo de ofensas.

“O preconceito continua, mas de maneira mascarada. Só mudaram os termos. Os caras acham que vão me afetar. Agora, em vez de “macaco”, me chamam de “Branca de Neve”. Alguma autoridade acha que é comum um torcedor chamar um jogador de Branca de Neve? Claro que isso não é xingamento de futebol”, disse Aranha em entrevista ao Blog de Jorge Nicola, do Yahoo.

O goleiro ainda falou sobre o pedido de desculpas que recebeu de Patricia Moreira, torcedores gremista que ficou marcada como uma das pessoas que chamaram Aranha de macaco.

“Ela pediu desculpa para mim uma vez e umas dez para o Grêmio (o time gaúcho acabou eliminado da Copa do Brasil). Mas tudo bem, faz parte”, afirmou.

Desempregado desde que deixou o Palmeiras no fim do ano passado, Aranha diz que o que fato de ser negro atrapalha. “Com certeza, o preconceito atrapalha. Ele existe no futebol e acho que vai continuar existindo para sempre.”

Patricia e outros torcedores foram acusados de injúria racial, mas fez um acordo com a Justiça e o processo foi suspenso.

O caso aconteceu durante a partida entre Grêmio e Santos pela Copa do Brasil de 2014. O clube gaúcho acabou eliminado da competição e o Peixe avançou até a semifinal.

Crédito da foto: Ivan Storti/Divulgação Santos FC



Editor senior do Torcedores.com, o jornalista formou-se na Universidade Metodista em 2009 e passou pelas redações do Diário do Grande ABC, Agora SP, UOL e Fox Sports, onde fez a cobertura da Copa do Mundo de 2014. Está no Torcedores desde outubro de 2014.