Além da pipoca: protestos contra dupla Gre-Nal já tiveram erva mate, rojão e soco

Foto: Lucas Uebel/Grêmio FBPA

Na manhã desta sexta-feira (26), um grupo de torcedores do Grêmio foi até o CT Luiz Carvalho protestar contra os recentes maus resultados do time e pedir raça aos jogadores. O principal alvo foi o atacante Luan, que teve o seu carro atingido por um punhado de pipocas. Ainda que tenha sido criativa, dessa vez a manifestação foi mais pacífica que algumas outras já realizadas por torcedores da dupla Gre-Nal. Nesse post, relembramos três protestos que não acabaram bem:

ERVA MATE

Um dos símbolos da cultura do Rio Grande do Sul e componente básico para o bom chimarrão, a erva mate teve outra utilidade para torcedores colorados insatisfeitos com o time em 2004. No desembarque da delegação colorada após a desclassificação na Copa do Brasil para o Vitória, alguns torcedores atiraram erva mate em direção ao técnico Lori Sandri. “Esses meninos poderiam ser mais educados”, disse Lori.

ROJÃO

O clima esquentou no treinamento do Inter dois dias depois da goleada sofrida por 5×0 para o Grêmio, no Brasileirão do ano passado. Um grupo de cerca de 15 torcedores tentou invadir o treinamento e um dos fãs chegou a arremessar um rojão para dentro do gramado. Felizmente, ninguém ficou ferido.

SOCO PELAS COSTAS

O lateral-direito argentino Matías Rodríguez pediu suas contas no Grêmio depois de receber um soco pelas costas no desembarque do time em Porto Alegre após a derrota por 2×0 para o Coritiba, no Brasileirão do ano passado. Irados, os gremistas foram receber o time no aeroporto e hostilizaram até o técnico Felipão, grande ídolo da história do clube. Matías já sairia do Grêmio em junho de 2015, quando vencia o seu contrato de empréstimo, mas o episódio acelerou o seu desligamento.



Jornalista formado pela PUCRS em agosto de 2014. Fã de esportes, sobretudo tênis. Colorado por paixão, jornalista por vocação e tenista por opção.