Técnico do Napoli é acusado de homofobia e pode ser punido

Crédito da foto: Reprodução/Facebook oficial do Napoli

Um incidente durante o jogo entre Napoli e Internazionale pode causar problemas ao técnico napolitano, Maurício Sarri. O treinador é acusado de insultos homofóbicos contra Roberto Mancini, comandante da equipe de Milão e será julgado.

LEIA MAIS:
Campeonato Italiano: confira a classificação atualizada

O fato aconteceu nesta última terça-feira, quando a Internazionale bateu o Napoli por 2 a 0, garantindo vaga na fase seguinte da Copa Itália. Durante o jogo, Sarri teria dito os seguintes termos para Mancini: “frocio” e “finocchio”, palavras com significados homofóbicos na língua italiana.

De acordo com o jornal “La Gazzetta Dello Sport’, o caso está sendo analisado Federação Italiana de Futebol (FIGC), que prevê punição de até quatro meses longe dos esportes em casos de discriminação sexual, além de uma multa que pode girar entre 15 mil e 30 mil euros (cerca de R$ 66 mil e R$ 133 mil.

O diário italiano também afirma que a decisão sobre a punição – ou não – deverá ser anunciada nesta quinta-feira (21), pela FIGC. Caso punido, Sarri também desfalcará o Napoli em partidas da Liga Europa, torneio federado pela UEFA.

Logo após o jogo, Roberto Mancini, em entrevista à rede de TV italiana, “Rai”, garantiu ter sido vítima de agressões verbais.

“A discussão na linha lateral? Você tem que perguntar ao Sarri sobre isso, ele é um racista. Pessoas como ele não pertencem ao futebol. Ele usou palavras racistas. Eu me levantei para perguntar sobre os cinco minutos de acréscimos e ele me chamou de “frouxo” (frocio) e “bicha” (finocchio). Eu ficaria orgulhoso de ser, se ele for aquilo o que é considerado um homem”, esbravejou.

Crédito da foto: Reprodução/Facebook oficial do Napoli



Baiano, 22 anos, jornalista em formação pela Universidade Jorge Amado (UniJorge). Apaixonado por esportes em geral, de preferência basquete, tênis e futebol, este último com maior fervor. Contato: victorw10@outlook.com