Sem clube, ex-lateral do Inter dispara: “O futebol é muito sujo”

Desde que saiu do Inter no final de 2012, o lateral-direito Nei não conseguiu mais ter regularidade na carreira. No Vasco, chegou a disputar 27 partidas no ano seguinte, mas na sequência acabou sendo afastado do elenco principal. De volta à equipe da Colina em 2015, uma lesão no pé atrapalhou os seus planos e mais uma vez o defensor ficou distante dos gramados.

LEIA MAIS:

Desprestigiado no Palmeiras, meia pode parar no Inter em 2016

Mercado da Bola 2016: Grêmio mira em novo atacante argentino

Fora dos planos da equipe carioca para essa temporada, Nei tem contrato somente até o final de janeiro. Aos 30 anos, ele ainda quer seguir jogando por mais algumas temporadas antes de virar treinador. Mas, segundo o lateral, o próximo contrato deverá ser o último, independente da equipe – tudo por conta de um ambiente que considera “sujo”.

“Fisicamente eu poderia ir até os 40 anos jogando, não bebo e me cuido muito, estou sempre treinando. Mas infelizmente, o futebol é muito sujo. Isso vai matando a pessoa. A cabeça vai sendo atrapalhada”, salientou o jogador, em entrevista publicada pelo portal Uol.

No Inter, Nei viveu o auge da carreira ao ser campeão da Libertadores como titular em 2010. Seguiu no clube por mais dois anos, ganhando dois estaduais e uma Recopa Sul-Americana. Provavelmente tenha sido o seu último grande momento como jogador, já que a cabeça mira novos objetivos no futuro.

“Eu quero ser treinador. Todo mundo sabe do meu desejo, eu leio bastante e consigo me expressar bem. Sempre tive boa leitura tática e no banco, nesses últimos meses, vi de perto. Quando parar, já quero virar auxiliar e ir estudando para ser treinador no futuro”, finalizou.

Crédito da foto: Site/Inter.



Jornalista formado pela PUCRS em agosto de 2014. Fã de esportes, sobretudo tênis. Colorado por paixão, jornalista por vocação e tenista por opção.