Saiba como um jornalista ‘nerd’ descobriu um esquema de corrupção no tênis

Reprodução

Você provavelmente nunca ouviu falar de John Templon. Mas, se acompanha esporte, certamente está ciente do grande feito do jornalista norte-americano em 2016. Ele foi um dos descobridores do esquema de corrupção envolvendo jogadores de elite do tênis mundial. O mais curioso é que o atleta do “BuzzFeed” não pratica o esporte das raquetes.

LEIA MAIS:
Canal inglês revela escândalo de apostas no tênis; campeões de Grand Slams estão envolvidos
Saiba quais tenistas estariam sendo investigados por manipular resultados
Em nota, Guga afirma que nunca recebeu ofertas para manipular resultados
Veja quanto já foi oferecido a Djokovic para que ele entregasse um jogo

 

Além do site, que é mais conhecido por listas e testes engraçadinhos, a emissora de televisão britânica “BBC” também revelou o escândalo, que veio à tona no último domingo (17). Em texto publicado no “BuzzFeed”, John Templon explicou como chegou ao resultado, que comprovou expõe suspeitas de que 16 jogadores de ponta do tênis (entre as 50 primeiras posições do ranking da ATP, a Associação dos Tenistas Profissionais) estariam envolvidos em manipulação de resultados a fim de “casar” resultados com apostas financeiras. A operação contaria com 70 atletas no total e ocorreria, pelo menos, desde 2007.

Templon é direto em seu texto. “Não jogo tênis. Me dou bem com números. E minha primeira impressão de que alguma coisa estava estranha no mundo do ‘jogo de cavalheiros’ veio de um periódico de estatística”, escreveu o repórter.

Ele se referia a um estudo publicado por um professor de gestão esportiva dos Estados Unidos e um apostador de tênis. A publicação estimava que tenistas profissionais provavelmente manipulam 23 partidas de fases iniciais de torneios, em um período entre 2011 e 2013.

Esses números foram o ponto de partida para a investigação do jornalista do “BuzzFeed”. Templon conta que analisou estatísticas de 26 mil jogos profissionais disputados entre 2009 e 2015. Isso em um período de um ano e três meses.

A estratégia do repórter foi identificar “incongruências” nos cenários de aposta. “Em um jogo normal, algumas pessoas apostam que um jogador vai ganhar e outras apostam em outro, com base nas probabilidades definidas por corretores de apostas. Mas se apostas enormes começam a pesar em um dos lados, isso parece muito um sinal de que alguns apostadores pensam que sabem mais do que os corretores de apostas sobre como o jogo vai acabar. Talvez eles saibam que um jogador vai falhar”, explicou.

Com isso em mente, ele passou um verdadeiro “pente-fino” nos 26 mil jogos em questão. Templon analisou o que os sete principais livros de apostas mostravam de probabilidades – inicias e finais – e fazia comparações. O que chamou a atenção foram as mudanças de probabilidades, em que a variação foi acima de 10%.

“Isso aconteceu em aproximadamente 11% de todas as partidas. Há muitas razões possíveis para esse tipo de mudança. Talvez um jogador tenha se lesionado enquanto estava se aquecendo, por exemplo, e as pessoas mudaram suas apostas por isso. Mas talvez algumas pessoas tinham informações privilegiadas, como a de que um jogador iria perder deliberadamente sua partida”, escreveu.

Com tudo isso em mãos, o jornalista identificou certos padrões. Quinze atletas perderam partidas com apostas altas com frequência, apesar de as estatísticas mostrarem outro cenário. “Quatro jogadores mostraram padrões particularmente incomuns, perdendo quase todas essas partidas. Considerando-se as probabilidades iniciais dos corretores de apostas, a chance de que os jogadores iriam se dar mal era de menos de uma em 1.000”, completou.

Por fim, Templon explica o porquê de não ter revelado quais eram os jogadores: “A análise foi realizada apenas com as informações de apostas disponíveis publicamente. As entidades de tênis e casas de apostas têm acesso a muitos dados minuciosos, como as contas que fazem apostas, assim como provas periciais, tais como dados telefônicos e registros bancários. Sem o acesso a tais informações, é impossível saber com um grau suficiente de certeza se esses padrões suspeitos são de fato o resultado de manipulação de resultados. Por esta razão, o BuzzFeed News decidiu não mencionar o nome dos jogadores.”

Além disso, ele informa que as mudanças dos padrões em apostas não confirmam que resultados foram manipulados. Contudo, a repetição de que determinados jogadores percam partidas em casos específicos – apostas significativas contra -, são indícios fortes de corrupção no esporte.

Crédito da foto: Reprodução



Jornalista, editor do Torcedores.com. Passagens pelos jornais Metro, O Estado de S. Paulo, Jornal da Tarde, Marca Brasil, Agora São Paulo, Diário de S. Paulo e Diário do Grande ABC.