Pressão? Marcelo Oliveira fala sobre comandar o Palmeiras em 2016

Crédito da foto: Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Em entrevista coletiva na Academia de Futebol nesta segunda, 18, o técnico do Palmeiras, Marcelo Oliveira, conversou com os jornalistas sobre a temporada 2016. O treinador foi questionado sobre a pressão em comandar a equipe desde o começo da temporada e não se esquivou em suas respostas.

LEIA MAIS
DESAFIO no Palmeiras: elenco numeroso, disputa por posições e inscrições limitadas
Marcelo Oliveira cita Corinthians e crava: “Não temo o mercado chinês”
Gabriel volta de lesão como titular no Palmeiras? Marcelo Oliveira responde
Marcelo Oliveira indica uso da BASE no Palmeiras em 2016; veja quem!
Em coletiva, Marcelo Oliveira fala de Libertadores e Mundial
Técnico do Palmeiras indica possível substituto de Cleiton Xavier
Marcelo Oliveira afirma que elenco do Palmeiras NÃO está fechado

Se quando chegou no meio da temporada 2015, Marcelo Oliveira não era cobrado por resultados imediatos, treinar a equipe desde o começo do ano pode significar uma pressão a mais no dia a dia do treinador na Academia de Futebol, correto? Nem tanto. Para o técnico do Palmeiras, a cobrança em um clube grande vai acontecer sempre.

“Pressão vai existir sempre. Essa pressão vem de acordo com a boa vontade ou a má vontade de quem analisa. Não me incomoda em nada, eu quero é trabalhar. Felizmente conseguimos seis títulos em cinco anos, na maioria das vezes jogando muito bem, como no Cruzeiro, no Coritiba e em alguns momentos aqui no Palmeiras. A gente espera ter mais constância. Precisa produzir bem, deixar a torcida satisfeita”, disparou o treinador.

Marcelo Oliveira também comentou uma situação comum no futebol que propicia uma pressão maior para os treinadores.

“Seria cômodo para mim ter apenas um time e completar com juniores, aí eu não teria problema. Mas para se ganhar competições importantes é necessário um elenco de qualidade. Aí em algum momento algum grande jogador pode estar fora do banco, da lista da Libertadores…”, comentou.

Para finalizar, Marcelo Oliveira comentou o que deve ser a tônica do Palmeiras em 2016.

“Todo profissional, em todo segmento, precisa fazer esse balanço nas férias. Por mais que um trabalho seja vencedor, e nós ganhamos um título importante, há sempre algo a acrescentar. Como estimulo muito trabalho em equipe, pretendo ativar mais ainda isso, que cada membro dessa equipe possa se dedicar ainda mais, que a gente possa estar ainda mais integrado na busca pelos títulos”.

Foto: César Greco / Palmeiras / Divulgação