Opinião: Palmeiras não tinha obrigação de ganhar Copinha, mas tabu já encheu

Crédito da foto: Reprodução

O Palmeiras está fora da Copinha. Essa virou uma frase tão comum quanto dizer que o futebol brasileiro perdeu mais uma chance de medalha de ouro nas Olimpíadas, que o Liverpool não conseguiu vencer o Campeonato Inglês, que a Portela não venceu o carnaval carioca, que Roberto Carlos vai cantar no fim de ano na Globo. Mas aconteceu de novo. 

LEIA MAIS
Globo estreia publicidade na transmissão do futebol e internautas fazem piada

Sou da turma que acredita que o futebol de base deve ser observado pelos resultados que produz para o clube, e não no mérito esportivo das conquistas e troféus. Cansamos de ver clubes que são papa-títulos das categorias de base e não conseguem fazer os campeões “acontecerem” no futebol profissional. O Palmeiras não tinha a obrigação de vencer a Copa São Paulo este ano. Mas o caso é que o tabu já encheu.

A Copinha é a pedra no sapato do palmeirense quando se pensa em títulos. Temos um Mundial, uma Libertadores, oito Brasileiros, três Copas do Brasil, 22 Paulistas, uma Mercosul, uma Copa dos Campeões e muitos outros títulos no futebol profissional. Chega na base, nada. E o pior é que nem podemos nos escorar no argumento do “importante é revelar”. Gabriel Jesus e Matheus Sales foram o ressurgimento da base em 2015, mas o time ficou ANOS sem revelar ninguém de peso.

O time do Palmeiras que disputou a Copinha em 2016 era ruim como um conjunto. Os jogadores reproduziram muitos erros e vícios da equipe profissional, como os chutões, a falta de padrão de jogo. Parece que a tal integração que os fazia treinar com o elenco principal acabou servindo para viciar esses jovens com os fundamentos ruins do futebol brasileiro.

Individualmente, as notícias são boas. Os atacantes Kauê e Laerte foram muito bem na Copinha. A entrada de Lipe no último jogo também foi bastante proveitosa. No gol, Daniel Fuzato vai precisar muito de evolução. Meu destaque negativo foi o atacante Artur. Afobado, matava muitas jogadas, girava com a bola sem saber o que fazer, e acabou prejudicando o conjunto em muitos momentos. Mas tem potencial e vai ser trabalhado para isso.



Editor do Torcedores.com, está no site desde julho de 2014. Formado pela Universidade Metodista de São Paulo, já passou por UOL, Editora Abril e Rede Record. Participou da cobertura da Copa do Mundo de 2014, de dois Pans, dos Jogos Olímpicos de Londres 2012 e do Rio 2016. Também colabora com o ONDDA, site "irmão" do Torcedores.com.