Opinião: Corinthians não pode reviver 2013- defesa forte e ataque pífio

durante o jogo realizado esta tarde no FAU Stadium, em Fort Lauderlade/Florida/EUA, entre Atletico Mineiro/MG x Corinthians/SP, valido pela Florida Cup 2016. Juiz: Marcos Deoliveira - Fort Lauderlale/Florida/EUA - 17/01/2016. Foto: © Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians

A temporada 2016 do Corinthians virou uma incógnita, após a negociação de quatro titulares importantes na conquista do hexacampeonato brasileiro: o volante Ralf, os meias Jadson e Renato Augusto e o atacante Vagner Love.  No último domingo, pela primeira vez sem o quarteto em campo, o Timão teve dificuldades e foi derrotado pelo Atlético-MG (1 a 0), em sua estreia na Florida Cup, nos Estados Unidos.

LEIA MAIS:
Mercado da bola: San Lorenzo recusa proposta corintiana por meia
Jogos depois da novela foram as exigências da Globo em contrato da Libertadores

O ponto positivo contra o vice-campeão brasileiro foi a defesa, que se manteve consistente, até pelo fato de ser o único setor que até o momento não passou por transformações.

Embora os jogadores de meio de campo e ataque tenham mostrado empenho, a equipe não conseguiu criar tantas situações claras de gol. Faltou qualidade na criação. Danilo e Rodriguinho, como organizadores de jogadas, estão muito atrás de Jadson e Renato Augusto.

A situação do ataque também é preocupante. Sem Vagner Love, o técnico Tite viu as suas opções ficarem ainda mais escassas. No elenco não há nenhum “matador”. No primeiro teste, o meia Danilo chegou a atuar como falso 9, saindo da área e abrindo espaço para quem vem de trás. O veterano não teve bom desempenho. No primeiro tempo, Romero atuou pelo lado direito do ataque. Meteu bola na trave e teve um gol bem anulado. Está muito longe de ser a solução para os problemas ofensivos.

O meu temor é que o filme de 2013 seja repetido. Quem não se lembra do Brasileirão 2013? O Timão terminou na 10ª colocação, tendo a melhor defesa (22 gols sofridos) e o segundo pior ataque (27 gols). E naquela edição, a equipe ainda teve jogadores mais talentosos como o meia Renato Augusto, e os atacantes Romarinho, Emerson Sheik, Guerrero e Pato. Hoje, as opções são bem inferiores. A reposição das peças não será nada fácil. Tite terá enorme trabalho enquanto a diretoria não reforçar o elenco com qualidade.

Foto: © Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians



Rafael Alaby é jornalista diplomado pela FIAM (Faculdades Integradas Alcântara Machado), com passagens pela Chefia de Reportagem de Esportes, da TV Bandeirantes, em São Paulo e site KiGOL. Pós-graduado em Jornalismo Esportivo e Negócios do Esporte (FMU)