Opinião: Atlético-MG de Aguirre já mostra mais equilíbrio tático que o de Levir

Crédito da foto: Bruno Cantini/CAM

Foram apenas dois jogos para perceber que o Atlético-MG voltou diferente para 2016. A troca de técnicos parece que foi benéfica ao time do agora comandante Diego Aguirre. Com Levir Culpi, uma das principais deficiências da equipe era o setor defensivo, muito exposto, que deu dores de cabeça ao torcedor em 2015. Contra o Corinthians, neste domingo (17), pela Florida Cup, a linha defensiva estava mais compacta.

LEIA MAIS
Vídeo: Cruzeirense se infiltra na torcida do Atlético-MG, zoa rival e faz sucesso na web
Saiu do Grêmio e foi campeão: Erazo ganha título com o Galo e torcedores brincam na web
Florida Cup: Thiago Ribeiro perde gol inacreditável contra o Corinthians; assista
Mercado da Bola 2016: Atlético-MG se posiciona sobre possível liberação de André ao Corinthians

Nela, os zagueiros Jemerson e Leonardo Silva ganham a companhia dos laterais Marcos Rocha e Douglas Santos, que se aproximam para fechar a defesa e dificultar a ação adversária. Os volantes Rafael Carioca e Leandro Donizete também auxiliam nessa linha à frente, e caso o Atlético seja atacado, eles cobrem os zagueiros, se necessário.

Esse plano tático que Aguirre implementou pertence ao próprio Timão de Tite, mas que acabou falhando no jogo diante dos mineiros no gol de Hyuri, que “quebrou” por meio de penetração os defensores corintianos na jogada de Juan Cazares e Lucas Pratto que resultou no passe ao atacante ex-Botafogo, autor do tento do título atleticano no torneio amistoso.

Laterais se aproximam dos zagueiros e fecham linha para dificultar ataque adversário - Foto: Reprodução/TV
Laterais se aproximam dos zagueiros e fecham linha para dificultar ataque adversário – Crédito da foto: Reprodução/TV

Crédito da foto principal: Bruno Cantini/CAM 



Jornalista desde 2012, com passagens pelos jornais ABCD Maior e Diário do Grande ABC, além do canal NET Cidade. Atualmente como repórter colaborador no site Torcedores.com.