Jean explica por que o Palmeiras foi sua MELHOR decisão; veja entrevista

Reprodução/Youtube

Nesta segunda-feira, o volante Jean foi apresentado oficialmente como jogador do Palmeiras. Acompanhado do quarto vice-presidente do clube, Victor Fruges, na sede da FAM, em São Paulo, o novo camisa 17 do Verdão (substitui Pablo Mouche) concedeu a primeira entrevista coletiva na nova casa e comentou sobre os detalhes que o fizeram estar certo de que o Alviverde era a melhor opção para o futuro.

LEIA TAMBÉM:
Com desmanche do Corinthians, elenco o Palmeiras é o mais valioso do Brasil
“O torcedor do Palmeiras vai me respeitar”, garante Alecsandro
Palmeiras tem uma pendência IMPORTANTE para resolver o quanto antes; entenda
Entenda como Marcelo Oliveira tem um Palmeiras bem mais versátil em 2016
ENQUETE: Qual deve ser o time titular do Palmeiras?
Mercado da bola: 10 meias que o Palmeiras pode trazer após lesão de Cleiton Xavier 

O Torcedores.com acompanhou toda a coletiva de Jean e, a seguir, destaca os principais argumentos de Jean, envolvendo a longa negociação, os motivos que o convenceram a vir para São Paulo, a forte concorrência em sua posição e até quando prevê sua estreia pelo Palmeiras.

Confira!

LONGA NOVELA
Foi difícil, né? Mas o importante é que deu tudo certo. Toda contratação assim é mais complicada, isso mostra que o Fluminense tem um carinho muito grande por mim, que o Palmeiras já tinha interesse e carinho por mim. Alguns detalhes fizeram com que demorasse um pouco mais (para definir a ida ao Palmeiras), dificultaram um pouco, mas tudo terminou com final feliz para todos.

MOTIVOS PARA VIR AO PALMEIRAS
Já faz um tempo que o Palmeiras estava tentando a minha contratação. Os detalhes foram alguns números que precisavam ser ajustados, não cabe a mim ficar falando. Além disso teve a minha importância, por tudo que eu acabei fazendo no Fluminense e por tudo que o clube fez por mim. Desde já deixo claro que valorizo demais o esforço do Palmeiras, vou valorizar ainda mais em campo buscando títulos. É isso que todo jogador busca quando chega numa equipe. O Palmeiras foi o primeiro clube a demonstrar interesse diretamente a mim e ao Fluminense, que houve algo mais concreto. Dei preferência ao Palmeiras não só por ter sido o primeiro, mas porque todos sabem que a família da minha esposa é de São Paulo e a grandeza do Palmeiras é enorme. São coisas que pesam. Tem também o planejamento do Palmeiras para os próximos anos. Tudo isso acarretou na minha decisão final.

QUANDO ESTREIA
Eu fiquei quase dois meses sem jogar. Você estar treinando é uma coisa, quando você fica sem jogar é totalmente diferente, mas estou há uns quatro ou cinco dias trabalhando forte para chegar à minha forma ideal. É difícil falar se quarta-feira (amistoso contra o Libertad, no Uruguai) eu já vou estar pronto, mas acredito que no próximo amistoso já vou estar 100%.

CONCORRÊNCIA ATRAPALHARÁ?
Esse tipo de concorrência sempre vai existir em time grande, esse tipo de batalha. Aqui vai ser maior devido aos grandes nomes que têm na minha posição. Seja quem for para começar as partidas ou ficar na reserva, o Palmeiras está muito bem servido. Se tem alguém que vai ganhar com isso é o Palmeiras. É claro que todo mundo quer jogar, dá para ver que os coletivos já são diferentes. É de momento, quem estiver trabalhando melhor, vai começar jogando.

Captura de Tela 2016-01-18 às 12.40.45

LIBERTADORES É O GRANDE OBJETIVO?
É importantíssimo a gente dar um passo de cada vez. Primeiro a gente tem que estar preparado para os amistosos. Eu analisei o elenco, os jogadores, até quando cheguei, sentei, fiquei olhando o treino e falei: “Poxa, esse elenco realmente é diferenciado”. Mas temos que caminhar devagar, com calma, para não atropelar as coisas. Tudo tem seu momento. Primeiro temos que pensar nos amistoso, logo teremos o Paulista, mas é claro que, como meta de time grande, a competição mais importante é a Libertadores. Mas para isso temos que ir com cautela, passo a passo, para chegar lá muito bem preparado e a gente buscar o maior sonho, que é o Mundial.

JOGARÁ DE VOLANTE OU LATERAL?
É difícil falar da sua posição ou algo parecido. Vim para fazer o meu trabalho, colocar minhas características da melhor forma possível. O Palmeiras pode ter tido essa deficiência (saída de bola) no ano passado, mas um time não é campeão à toa. Tem grandes jogadores na posição, é uma equipe que está há mais ou menos um ano junta. Se tiver uma posição em que eu possa tirar alguma deficiência, vou estar ali para ajudar. Não vou ser nenhum salvador, jamais, mas estou aqui para ajudar.

ANSIEDADE PARA ACERTO
Rapaz, a gente queria decidir logo, o quanto antes. “Poxa, não deu certo, vai ficar no Fluminense”. “Mas talvez, pode ser, está quase”. A gente fica ansioso, querendo saber logo. Eu vou definir como eu estava emocionalmente assim: ansioso, expectativa grande de dar algum acerto.

IMPRESSÕES COMO RIVAL
É um grupo que tem muita qualidade em todas as posições, isso me chamou mais a atenção. Eu gosto muito de observar e analisar o adversário e eu via muito isso no Palmeiras. Grandes jogadores, experientes, por todos os clubes que passaram. Vi que o Palmeiras tem um planejamento muito grande para os próximos anos, até pela quantidade de bons jogadores que chegam ao elenco.

COMO FOI A ABORDAGEM DO PALMEIRAS
No primeiro momento, não foi tão forte, com tanto afinco que o Palmeiras procurou. Eu conversava, mas sempre tinha um intermediário. Eu conversava através de terceiros, por empresário. Dessa vez eu comecei a falar direto com as pessoas ligadas ao clube. Isso me fez sentir realmente até que ponto eu estava interessando ao Palmeiras. Senti que eles me queriam muito. A diferença foi essa, que agora teve um contato mais direto. Isso foi primordial para o negócio.

Curtiu a matéria? Siga o autor no Twitter: @fontes_matheus.
Facebook: Matheus Martins Fontes.

Fotos: Reprodução/Internet



Esportista de hobby, mas jornalista de profissão. Trabalhou como repórter do O Estado de S. Paulo, Revista TÊNIS. Tênis Virtual e CurtaTÊNIS em coberturas nacionais e internacionais de grandes eventos.