Especial Rio 2016: Copa de 2014 vira exemplo para as Olimpíadas

Reprodução/ Facebook oficial FIFA

Antes da Copa acontecer no Brasil, chovia críticas em relação a organização do evento no país. Dois anos depois, o sucesso brasileiro fora de campo é espelho para os Jogos Olímpicos no Rio.

LEIA MAIS DO ESPECIAL RIO 2016:
O início – A escolha pela “Cidade Maravilhosa”;
Entenda o projeto do Parque Olímpico, e sua utilidade pós jogos

O principal argumento contra a realização do evento no Brasil, mais um vez é a falta de organização e preparo. “Não temos estrutura” ou “O país é uma bagunça, não tem condições de abrigar um evento desse porte” são frases que circulam quase que diariamente em redes sociais.

A Copa do Mundo realizada em 2014, em solo brasileiro, é prova de que quando o assunto é organização o país sabe bem como se virar. Fora de campo, o Brasil foi bem e mostrou ser receptivo, tendo saldo positivo na avaliação da FIFA. Os estrangeiros que desembarcaram por aqui não tiveram dificuldades em se sentir em casa. O povo brasileiro é assim, se esforça para entender uma língua diferente, para orienta-los, é do sangue.

O mesmo que critica é aquele abraça, pois sente que seu dever como ser-humano é recepcionar da melhor forma possível seu “hospede”. É com pensamento que, mais uma vez, sobre questionamentos o Brasil recebe um evento esportivo, sendo esse o maior do mundo: as Olimpíadas.

Não dizendo que tudo é só prós e não contras. Existem e muitos. O gasto exorbitante (cerca de R$ 25 bilhões, pelo menos é o que consta no projeto inicial. Até o fim das obras, o valor deve triplicar), que poderiam e deveriam ser investido em saúde e educação, que como vemos andam bem precários. A segurança que só funciona quando convém (inibir protestos na Paulista, por exemplo. Se bem que não podemos chamar opressão de segurança). A corrupção que permeia em quase todas as áreas existentes no país, no qual o futebol faz parte (tendo em vista as crises da CBF e FIFA).

Sei que existem outros contras, assim como vários prós, mas a questão que fica é: a “briga” não deve ser contra o evento, que vai acontecer querendo ou não, e sim contra a falta de investimentos em áreas básicas para a vida. Abrace e acolha aquele que virá de longe para curtir as maravilhas que o Brasil pode proporcionar, mas lute por aquilo que é teu por direito. Faremos a melhor Olimpíadas dos últimos tempos, e deixaremos de lutar por um país sempre melhor.

Crédito da foto: Reprodução/ Facebook oficial FIFA



Curso Jornalismo e Comunicação na Universidade Metodista de São Paulo. Dedico-me a área Esportiva, e busco sempre oferecer o melhor de mim em todas as matérias em que me envolvo. Seriedade, foco e comprometimento são palavras que levo como lei da vida.