Após furar boicote à Seleção Brasileira, Clarissa é demitida do Corinthians/Americana

LBF; Americana/SP; Liga de Basquete Feminino; Jogo entre Americana Corinthians x Santo André; 20/11/2015; Foto: Marcello Zambrana/Inovafoto

Clarissa, pivô que furou o boicote proposto pelos clubes que disputam a Liga Feminina de Basquete (LFB) contra a Seleção Brasileira e disputou o evento-teste dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, foi do Corinthians/Americana. Por conta disso, a atleta não poderá atuar em nenhum outro time que atua na competição nacional.

LEIA MAIS:
Pré-olímpico de basquete: Itália e mais dois países sediarão torneios

Quando se apresentou à Seleção Brasileira, a jogadora declarou que “seguiu o que acredita ser certo”. Clarissa, que na última temporada defendeu o Chicago Sky, franquia que disputa a WNBA, a liga profissional norte-americana, foi um destaques do evento-teste que terminou com o Brasil vice-campeão, perdendo a decisão para a Austrália.

“Tem que ligar para o Corinthians e perguntar para eles (o motivo da dispensa). A gente fica triste porque eu estava no grupo (da seleção) no meio do campeonato. Eu estou tranquila, esperando para ver como vai encaminhar essa história. Eu estou tranquila, não tenho nenhum sentimento ruim com o clube, tenho minhas amigas lá”, disse a atleta, em conversa com a ESPN.

Em entrevista ao portal UOL, Ricardo Molina, presidente do Corinthians/Americana, alegou que a atleta foi demitida por abandonar seu emprego. “Ela quebrou o contrato por se ausentar dos treinos por 13 dias, entre 6 e 18 de janeiro. Ela abandonou a equipe. Não falou com ninguém”, disse. Este período se refere é o mesmo em que a Seleção Brasileira se reuniu.

Clarissa era um dos principais nomes da atual LFB, sendo a segunda maior pontuadora da Liga, com 18,5 pontos por jogo, maior reboteira do campeonato, com 12,5 recuperações em média, além de ser a jogadora com maior aproveitamento de lances livres, e quinta melhor bloqueadora do torneio.

Sete atletas cumpriram a determinação de seus clubes e não se apresentaram a Seleção: Adrianinha, Tainá Paixão e Tati Pacheco (América-PE), Gilmara e Joyce (Corinthians/Americana), Jaqueline e Tássia (Santo André). Todas foram intimadas pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) da Confederação Brasileira de Basquete (CBB) a justificarem a dispensa em audiência nesta quinta-feira (21), dia em que a LFB retoma seu campeonato.

Foto: Marcello Zambrana/InovaFoto



Jornalista com passagens pelas revistas Racing e House Mag.