10 curiosidades sobre as participações do Grêmio na Libertadores

Foto: Lucas Uebel/Grêmio FBPA

Faltando menos de um mês para o Grêmio dar início à caminhada na Libertadores de 2016, o elenco tricolor já está no clima da competição e acerta os últimos detalhes na pré-temporada para entrar forte na disputa continental. Nessa temporada, o tricolor vai para a sua 16ª participação em Libertadores na história. Para deixar o torcedor gremista ainda mais envolvido no torneio, listamos 10 curiosidades sobre o histórico do clube na maior disputa da América.

LEIA MAIS:

Desprestigiado no Palmeiras, meia pode parar no Inter em 2016

Mercado da Bola 2016: Grêmio mira em novo atacante argentino

– Nas duas Libertadores que venceu, nos anos de 1983 e 1995, o Grêmio era treinado por ex-defensores. Primeiro, o comandante foi Valdir Espinosa, que foi lateral-direito do próprio tricolor na década de 70. Depois, foi a vez de Luiz Felipe Scolari, zagueiro vigoroso de Caxias e Novo Hamburgo. Coincidência para 2016? Roger Machado também era homem de defesa.

– Em suas últimas três participações no torneio, o tricolor gaúcho foi eliminado na fase de oitavas de final e sempre por times de países diferentes. Em 2011, o algoz foi a Universidad Católica, do Chile. Em 2013, o Santa Fé, da Colômbia, tirou o Grêmio. Já em 2014, os gaúchos caíram para o San Lorenzo, da Argentina.

– A pior participação gremista na Libertadores foi na edição de 1990, quando a equipe treinada por Evaristo de Macedo fechou como a 17° colocada. Foi apenas uma vitória, na estreia contra o Vasco da Gama, três empates e duas derrotas, com cinco gols feitos e seis sofridos.

– Evaristo de Macedo, Luiz Felipe Scolari e Tite são os treinadores recordistas de participações com o Grêmio em Libertadores. Cada um deles treinou em duas ocasiões. Evaristo, 1990 e 1997; Luiz Felipe Scolari, o Felipão, 1995 e 1996; e Tite, nos anos de 2002 e 2003.

– A maior goleada aplicada pelo Grêmio na competição foi durante a edição de 1984, ano em que o tricolor foi vice-campeão. Durante a fase de grupos, os gaúchos aplicaram 6×1 na Universidad Los Andes, da Venezuela. Os jogadores gremistas Caio, Tarcísio (2), Guilherme (2) e De León fizeram os gols naquele dia 9 de julho.

– A edição em que o Grêmio fez mais gols foi em 1995, ano do bicampeonato comandado por Luiz Felipe Scolari. Foram 29 gols marcados. Em 1990, o menor número: apenas 5 gols feitos.

– Por outro lado, o ano em que a defesa gremista mais demonstrou força e menos vazou foi em sua última participação, no ano de 2014, com Enderson Moreira. Somente Newell’s na primeira fase e San Lorenzo, nas oitavas, balançaram as redes do tricolor, que tomou só 2 gols em todo o torneio. Já em 2007, a coisa desandou: mesmo com o vice-campeonato, foram 15 gols sofridos.

– Instituída há poucas edições pela Conmebol, a fase chamada pré-Libertadores jamais vitimou o Grêmio. Nas duas participações que fez, o clube gaúcho avançou em ambas. Em 2011, superou o Liverpool, do Uruguai. Já em 2014, nos pênaltis, bateu a LDU, do Equador.

– Somando apenas os duelos em casa contra equipes brasileiras, o Grêmio tem um retrospecto favorável. Em 16 jogos, foram 8 vitórias, 6 empates e duas derrotas. Corinthians em 1996 (1×0) e Cruzeiro em 1997 (1×0) foram os únicos carrascos.

– Em números gerais: 15 Libertadores disputadas, 2 títulos (1983 e 1995), 2 vices (1984 e 2007), 147 jogos, 74 vitórias, 32 empates e 41 derrotas. 221 gols marcados e 137 sofridos.

Foto: Lucas Uebel/Grêmio FBPA.



Jornalista formado pela PUCRS em agosto de 2014. Fã de esportes, sobretudo tênis. Colorado por paixão, jornalista por vocação e tenista por opção.