VIDEO: Conheça a réplica do carro que deu a penúltima vitória de Nelson Piquet na F1

Encontrar um carro de Fórmula 1 em lugar público fora do período de corridas não é uma das coisas mais fáceis. Muitas vezes, ou eles estão recolhidos nas sedes dos times ou se tornam peças de decoração, nas casas de algum piloto ou colecionador.

Algumas peças, caso do McLaren MP4/5B, ganho por Ayrton Senna em 1990, estão no prédio pertencente à família do piloto, no bairro paulistano de Santana e réplicas de carro são coisas ainda mais complicadas de serem encontradas. Por isso, posso dizer que tive sorte de não apenas encontrar um destes exemplares, mas a reprodução de um dos carros pilotados por Nelson Piquet, no mesmo ano de 1990.

Tudo começou quando estava navegando pelo Facebook, quando entrei numa comunidade voltada para o ex-piloto e vi a foto do carro e fiquei curioso em saber onde ela estava, um pouco de pesquisa aqui e ali e cheguei ao endereço do local. Com a informação nas mãos, fui atrás do carro para ver se era real e sim, esta é uma replica bem detalhada do Benetton B190.

Assim que cheguei, passei a admirar a obra do restaurador AC Cabral, dono de uma loja de móveis e que se dedica a construir estas cópias de veículos que vemos nas corridas do Mundial de F1.

Este modelo em particular, marcou o renascimento de Piquet na temporada de 1990. Ele vinha de dois anos na Lotus, com resultados aquém do que ele conseguiu na carreira e o então chefe de equipe do time ligado a marca de roupas Benetton, Flavio Briatore, queria um piloto que pudesse desenvolver o carro e se muito, fazer a equipe ganhar corridas. Contudo, a fama de piloto top de Piquet fez com que o time oferecesse a ele um contrato de produtividade, algo semelhante ao que alguns clubes de futebol tem feito atualmente. Ou seja, Nelson receberia premiações de acordo com objetivos conquistados.

Na primeira parte do ano – composto por 16 provas -, resultados consistentes que tiveram no segundo lugar no Canadá como melhor marca. Já no segundo período, Piquet deu um “prejuízo” ao time, mas que foi pago com prazer pela escuderia. Duas vitórias, no Japão e na Austrália, levaram o brasileiro a terminar empatado com Gerhard Berger (McLaren) com 43 pontos, só que como ele teve dois triunfos contra nenhum do austríaco, Nelson acabou em terceiro, atrás apenas do – naquele ano – bicampeão mundial Ayrton Senna (McLaren) e do francês Alain Prost (Ferrari).

Este carro ainda foi usado por mais duas corridas no ano de 1990, nos Estados Unidos e Brasil, antes da estreia do modelo B191 no GP de San Marino, em Ímola, na Itália. Quem quiser ver este carro de perto, pode se dirigir à Atlantis Móveis, localizada na rua Itapura, 1603, próximo à rua Emília Marengo no bairro do Tatuapé.

Aqui incluímos também um vídeo sobre o GP de número 500 da história da F1, obtida por Nelson Piquet com este modelo, em Adelaide, na Austrália.

Foto: Sandro Varela