Retrospectiva 2015: Seleção Masculina de Vôlei conhece pedras no caminho do ouro em 2016

Reprodução/ Site: Confederação Brasileira de Vôlei

Com a vola do libero Serginho a condição de líbero titular, a Seleção Masculina de Vôlei conheceu de perto seus adversários nas Olimpíadas. E a primeira impressão não foi a melhor. Na principal disputa da temporada, a Liga Mundial, o Brasil perdeu em casa e se quer chegou as semifinais do torneio que teve a fase final o ginásio do Maracananzinho, no Rio de Janeiro.

LEIA MAIS

Em busca alternativas, Seleção Feminina de Vôlei faz testes antes do Rio-2016
Campeão de tudo, Sada/Cruzeiro é o grande destaque do vôlei masculino

Com o time considerado titular durante 2015 com Bruno, Wallace, Murilo, Lucarelli, Lucão, Isasc e Serginho, o time de Bernardinho sofreu com lesões de jogadores importantes, como o central Sidão. O treinador também aproveitou a temporada para rodar o maior número de atletas nas posições.

A maior disputa é quem deve ser o reserva de Bruno na posição de levantador. Entre as op~]oes mais usadas estão Willian e Rapha qual alternaram as partidas na Liga Mundial. A posição de central também tem boa disputa, Isac está como titular, mas, seu companheiro de Sada/Cruzeiro, Éder e Sidão também são fortes concorrentes.

Na Liga Mundial deste ano a Seleção Masculina de Vôlei sabe que não terá vida fácil no Rio-2016, e que tem no mínimo cinco seleções na briga pelo ouro, como Itália, EUA, França. Rússia e Polônia.