Retrospectiva 2015: 6 jogadores que irritaram a torcida do Palmeiras

Crédito da foto: Cesar Greco/Ag. Palmeiras

O ano de 2015 até que acabou bem verde para o Palmeiras, após levantar o caneco da Copa do Brasil. No entanto, durante algum tempo do ano que se acaba logo mais, alguns jogadores do Verdão levaram a torcida ao delírio, mas não de felicidade – de raiva mesmo. Veja abaixo quais jogadores alviverdes irritaram muito os torcedores em 2015.

LEIA MAIS
Retrospectiva 2015: Palmeiras campeão da Copa do Brasil
Retrospectiva 2015: Relembre os treinadores do Palmeiras

Cleiton Xavier – Do que adianta ter saído de bem com a torcida se volta e mal consegue jogar por conta de lesões? Tá certo que o futebol brasileiro é mais “pegado” que o ucraniano, mas pera lá… Uma das principais contratações em 2015 não poderia ter jogado tão pouco, uma vez que o que se esperava dela (e o que se paga…) é algo muito maior. E bota maior ni$$o.

Alecsandro – Chegou com pinta de goleador, mas o que se viu foi apenas muita força de vontade. Tá certo que isso às vezes basta, mas não foi o que aconteceu com “AlecGol”. Muito por culpa do próprio atleta, que até mesmo discutiu com torcedores em certa ocasião. Não fez diferença em 2015 e, se sair em 2016, não fará falta.

Amaral – Tornou-se titular em algumas partidas por conta da lesão grave de Gabriel e de outros problemas físicos de Arouca. Completamente abaixo dos já citados tecnicamente, Amaral tentou se superar na determinação e vontade de vencer, mas não deu. Causou mais pânico ao torcedor do que alegrias. Aliás, quando se fala em Amaral entre palmeirenses nenhum lance de jogo é lembrado, apenas a fatídica entrevista, ainda no Goiás, quando “elogiou” o Corinthians.

Egídio – Começou 2015 muito bem, mas caiu demais de produção no decorrer da temporada, principalmente após a lesão de Gabriel, “cão de guarda” que dava certa liberdade para o lateral apoiar sem a obrigação contínua de defender. Sem o volante, passou a ser conhecido como “Avenida Egídio”, daquelas que dá mais raiva ao torcedor do que a Av. Pompéia e a Av. Francisco Matarazzo juntas em dia de jogo, com tráfego lotado, quando faltam minutos para o jogo do Verdão começar.

Fellype Gabriel – Nem deu pra ter raiva dele direito, pois mal jogou. Contratado a pedido do ex-treinador Oswaldo de Oliveira, o meia ficou mais no departamento médico do que dentro de campo. A raiva ao citar seu nome entre palmeirenses é justamente por esse motivo: salário alto, produtividade baixa.

Leandro Almeida – Contratado para ser titular, se tornou segundo, às vezes terceiro reserva na função. Não que o técnico Marcelo Oliveira não goste dele – muito pelo contrário – já o treinou no Coritiba e conhece o jogador. O problema foram as cornetas. Elas soaram bem alto no Allianz Parque por conta da falta de velocidade e baixa qualidade técnica do zagueirão.

BÔNUS

Luan – Pois é, o atleta nem jogou em 2015 pelo Palmeiras, mas teve o seu nome “na boca do sapo” pelos torcedores neste fim de dezembro por conta da renovação de seu contrato com o Verdão até 2017. Os torcedores pegaram pesado nas redes sociais por não entenderem a renovação do vínculo de um jogador que, segundo a torcida, não joga nada. Resta esperar para ver se, de fato, ele será aproveitado em 2016 ou se será emprestado para alguma outra equipe.

Foto: César Greco / Palmeiras / Divulgação