Neto pagou do próprio bolso dois ternos para Wendell Lira ir ao Puskas

Foto: Rafael Alaby/Torcedores.com

 

A campanha brasileira para Wendell Lira ganhar o prêmio de gol mais bonito da FIFA, ganhou mais uma ajuda, de acordo com a coluna do jornalista Flavio Ricco, o polêmico comentarista da TV Bandeirantes teria comprado dois ternos para que o jogador vá ao prêmio devidamente na estica.

Leia mais: Relembre as maiores polêmicas de Neto em 2015

Neto teria mandado confeccionar os dois ternos para o atacante do Vila Nova. O jogador vai concorrer ao gol mais bonito do ano em Zurique na Suíça, no dia 11 de janeiro. Ao lado de grandes craques como: Lionel Messi e Carlitos Tevez, que certamente também estarão muito bem vestidos, durante a cerimônia que também premiará o Bola de Ouro.

Dos gols que concorrem ao lado de Wendell, engana-se de que o mais bonito para ele seja o de Messi, ele assumi que o argentino seja um dos preferidos, mas na em sua opinião o mais bonito o gol marcado por Esteban Ramírez, que atua no Herediano, da Costa Rica, disse em entrevista ao Globo Esporte.com. ” Esse é meu gol preferido. A matada no peito, o toque de cabeça e o chute são muito bonitos. Com certeza foi um gol muito difícil de ser feito e que merece estar na lista. É um forte concorrente”, disse o brasileiro.

Quanto ao seu próprio gol ele disse: “É o lance que mudou minha vida. Sempre achei que poderia ser premiado, mas é claro que não sabia que entraria na disputa do Prêmio Puskás. Pude completar a jogada com um belo giro.”

Lira tem 26 anos e marcou o gol que pelo Goianésia-GO,de meia-bicicleta contra o Atlético-GO em março, pelo estadual, no próximo ano estará atuando pelo Vila Nova, mas quando soube de sua indicação estava desempregado.

Desde a criação do prêmio em 2009, somente o brasileiro Neymar já venceu a categoria, com um gol feito pelo Santos contra o Flamengo no Campeonato Brasileiro de 2011.

Imagem: Rafael Alaby/Torcedores.com

 

 



Formada em jornalismo pelo Mackenzie, demorei anos para perceber que dá, sim, para ir atrás dos sonhos e trabalhar com o que se gosta: o esporte. Hoje me divido entre o esporte e a política. Nunca vou me conformar com os que dizem: "É só futebol.."