Titular na Série D, volante desfalca o Botafogo-SP no último jogo

O Botafogo-SP vai à capital do Piauí encarar o River pelo jogo de volta da final da Série D, neste sábado (14), às 19h39 (Brasília), no Estádio Albertão, em Teresina. A equipe paulista venceu o primeiro duelo pelo placar de 3 a 2, e joga por um empate para garantir o título da competição.

LEIA MAIS:
Destaque do Botafogo-SP, zagueiro revela drama que quase o tirou do futebol
Ex-Olé, meia está perto de acesso com o Uberaba e revela intenção para 2016
“Ainda não tem nada definido”, diz meia após vitória do Botafogo-SP na Série D

Durante a semana, o técnico Marcelo Veiga avaliou os atletas que vão embarcar para o norte do país. Com alguns desfalques para o duelo, o treinador ainda tem dúvidas em definir a equipe que entrará em campo contra o River-PI. Uma falta significativa, o volante Rodrigo Thiesen, que esteve como titular em todos os jogos do Pantera, não joga a última partida do ano.

O atleta, por meio da assessoria, destaca a campanha da equipe na competição e acredita na vitória deste sábado.

“O time está de parabéns pelo empenho e futebol apresentado. Todos os três gols foram de bola trabalhada. Apesar do bom resultado, acho que o placar poderia ter sido melhor ainda se tivéssemos um pouco mais de atenção nos dois lances em que sofremos os gols. Mas o importante mesmo foi que fizemos o dever de casa”, conta.

Por causa do terceiro cartão amarelo, Thiesen será desfalque para o técnico Marcelo Veiga. O jogador revela que nunca ficou fora de um jogo decisivo.

 

“É a primeira vez que fico fora de uma final. É muito ruim, porque é o jogo que todos querem estar em campo, mas infelizmente faz parte. O importante é que já garantimos o acesso à Série C e pude ajudar o time. Agora vou ficar na torcida por eles, e tenho certeza que quem entrar vai se doar ao máximo para trazer o título”, finaliza.

 

Foto: Rogério Moroti/Agência Botafogo



Ribeirão-pretano com orgulho e apaixonado por todas as modalidades esportivas. Jornalismo esportivo é uma das paixões que carrego em meu peito. Sonhar é o que mantém o Homem vivo. "O Homem não morre quando deixa de existir, e sim quando deixa de sonhar".