Rosberg controla Hamilton, vence GP do Brasil e fatura vice-campeonato

Nico Rosberg levou a melhor sobre Lewis Hamilton no confronto interno da Mercedes e venceu na tarde deste domingo o Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1, disputado no Autódromo de Interlagos, em São Paulo (SP). O resultado garantiu ao alemão o vice-campeonato de 2015 e, de quebra, impediu aquele que seria o primeiro triunfo de seu companheiro de equipe no circuito paulistano.

Coube ao tricampeão Hamilton se contentar com a segunda colocação, terminando distante sete segundos de Rosberg. O pódio contou ainda com Sebastian Vettel, que sem chances de atacar as duas Mercedes, levou a Ferrari ao terceiro lugar. Kimi Räikkönen, com a outra Ferrari, terminou na quarta posição, seguido pelo também finlandês Valtteri Bottas, quinto melhor nesta tarde.

Nico Hülkenberg fez uma boa corrida e levou a Force India ao sexto lugar, chegando logo à frente de Daniil Kvyat, da Red Bull. Felipe Massa terminou em oitavo, mas terá de se explicar com os comissários após largar com os pneus calibrados acima da temperatura orientada pela Pirelli. Romain Grosjean, com a Lotus, e Max Verstappen, com a Toro Rosso, fecharam a lista dos dez melhores.

Felipe Nasr teve um bom começo de corrida e, apostando em esticar seu primeiro stint, chegou a ocupar a quarta colocação. Porém o piloto da Sauber perdeu rendimento e completou apenas na 14ª colocação sua primeira participação em um Grande Prêmio do Brasil.

A Fórmula 1 terá a última etapa de seu campeonato de 2015 daqui dois domingos, com a disputa do Grande Prêmio de Abu Dhabi.

A corrida

A largada teve Rosberg mantendo a liderança, seguido por Hamilton e Vettel. Quem teve um bom início foi Bottas, que pulou da sétima para a quinta colocação. Massa avançou ao sétimo posto, enquanto Nasr ganhou uma posição. Atrás, Carlos Sainz, que largou dos boxes, rodou e abandonou a disputa.

Daniel Ricciardo foi aos boxes logo na terceira volta da prova e colocou pneus médios, após começar a corrida com os compostos macios. Também na parte de trás do pelotão, Grosjean fez valer o melhor desempenho de sua Lotus e superou Nasr, recuperando a 11ª posição que havia perdido na passagem anterior, quando cometeu um erro.

Rosberg começou a abrir vantagem sobre Hamilton, enquanto os dois impunham um ritmo impossível de ser seguido por Vettel, terceiro colocado. Hulkenberg, então na sexta posição, se dirigiu aos boxes no nono giro da corrida, enquanto Felipe Massa, que vinha em sétimo, fez sua troca na passagem seguinte, junto de Pérez, Grosjean e Button.

Na volta à pista, o alemão da Force India levou a melhor sobre Kvyat e pulou para a 12ª posição. Bottas foi o primeiro integrante do top-5 a entrar nos boxes, na volta 11 da prova. No giro seguinte foi a vez de Räikkönen efetuar sua troca, enquanto o líder Rosberg parou na 13ª passagem. O alemão, porém, viu sua equipe demorar mais de quatro segundos para fazer o trabalho.

Hamilton também teve problemas em seu pit-stop, feito na 14ª volta. A equipe do inglês demorou 3s6 para trocar os pneus. Outro a mudar os pneus foi Nasr, que era o quarto colocado antes da parada e retornou em 15º, atrás da McLaren de Jenson Button. Mais na frente, Hulkenberg superou Maldonado e assumiu a sexta posição.

O campeão do mundo se aproximou de Rosberg na 20ª volta, derrubando a diferença para sete décimos. Pouco depois, o inglês recebeu uma mensagem da equipe pedindo para controlar o desgaste dos pneus. Massa superou Maldonado e assumiu a oitava posição, enquanto Nasr ganhou o lugar de Button, ganhando o 14º posto.

Na frente, Hamilton seguia sua perseguição a Rosberg, se aproximando muito do alemão no S do Senna. Porém, o dono do carro número seis passou a abrir vantagem alguns giros depois. Maldonado, que optou por uma estratégia de apenas duas paradas, entrou nos boxes na 26ª passagem, enquanto Ricciardo fez sua segunda troca de pneus três voltas mais tarde.

Na 33ª passagem, Verstappen conseguiu uma bela ultrapassagem sobre Pérez, após os dois dividirem o S do Senna. O mexicano ainda viu Grosjean superá-lo também. No mesmo giro, Vettel foi aos boxes e colocou pneus macios, recebendo ordem de acelerar o máximo que puder sua Ferrari. Hamilton foi aos boxes no giro seguinte para colocar compostos duros.

Assim como Verstappen e Pérez, Ericsson e Maldonado também dividiram o S do Senna, mas o venezuelano atingiu a Sauber do sueco, que rodou. Então, o piloto da Lotus acabou punido pelo incidente. Massa entrou nos boxes para sua segunda troca de pneus na 38ª volta, mesmo giro em que Vettel superou Räikkönen para retomar a terceira posição.

Bottas fez sua segunda parada no 41º giro, colocando pneus médios. Mais na frente, Hamilton e Vettel, com pneus mais novos, passaram a se aproximar de Rosberg, que estendeu seu segundo stint em relação aos concorrentes. Räikkönen, que também seguiu com uma única parada, aparecia 15s9 atrás do líder. Na 46º volta, Räikkönen fez seu segundo pit-stop.

A direção de prova informou que Felipe Massa largou com os pneus com a temperatura e a calibragem acima do recomendado pela Pirelli, em caso semelhante ao ocorrido com Lewis Hamilton no GP da Itália deste ano. O brasileiro terá de se reportar ao delegado técnico da prova após a corrida.

Vettel foi mais uma vez chamado aos boxes, desta vez na 47ª passagem, colocando pneus médios, enquanto Rosberg fez sua parada um giro mais tarde. Na volta 49, foi a vez de Hamilton fazer mais um pit-stop. O inglês voltou próximo de seu companheiro de equipe.

Nasr e Maldonado passaram a travar uma boa disputa pela nona posição na 56ª volta. O venezuelano, que pagara sua punição algumas voltas antes, passou a pressionar o brasileiro, superando-o no giro seguinte. Grosjean, Verstappen e Pérez também ultrapassaram o piloto da Sauber na sequência.

Rosberg passou a abrir vantagem sobre Hamilton nas voltas finais e seguiu tranquilo para vencer a corrida, impedindo seu companheiro de equipe de conquistar seu primeiro triunfo no Brasil. O pódio contou ainda com Sebastian Vettel.

Foto: reprodução/Twitter



Jornalista com passagens pelas revistas Racing e House Mag.