Ronda admite que seu domínio no UFC ajuda rivais: “Ganham mais dinheiro assim”

Ronda Rousey
Reprodução/Instagram

Às vésperas de mais uma luta pelo UFC, Ronda Rousey não dá sinal algum de falsa modéstia. Durante treino aberto em Melbourne, na Austrália, palco do combate diante de Holly Holm, a campeã peso-galo da organização admitiu que seu domínio na divisão não é ruim para suas competidoras. Pelo contrário: quanto mais perdem, mas ficam em evidência na mídia.

LEIA TAMBÉM:
UFC 193: Tudo o que você precisa saber
Ronda Rousey x Holly Holm: saiba como assistir a luta pela TV
Cansada de lutar, Ronda Rousey diz que vai DESAPARECER após o UFC 193

“Eu realmente achei o meu lugar e faço o que deveria estar fazendo. Acho que o domínio é o melhor para todos nós. Esse é o meu lugar e isso ajuda as outras lutadoras. Todas têm a sua vez de perder para mim. Acho que elas fazem muito mais dinheiro desta forma. Depois que eu me aposentar, elas não farão tanto dinheiro assim nem se forem campeãs”, afirmou a norte-americana.

Desde que entrou para o mundo do MMA, Ronda disputou 12 lutas com 12 vitórias, todas por nocaute, sendo 11 delas no primeiro round. A única que ousou passar mais de um round com “Rowdy” foi Miesha Tate em 2013, quando foi batida apenas no terceiro.

Neste sábado, Ronda terá pela frente Holm, uma rival gabaritada no boxe, em evento que tem tudo para quebrar o recorde de público da organização de Dana White. O Etihad Stadium tem capacidade para até 70 mil pessoas.

Atualmente, o maior público ocorreu no UFC 129, no Rodgers Centre, em Toronto (CAN), quando 55.724 pessoas estiveram presentes para assistir à luta principal entre o canadense Georges Saint-Pierre e o norte-americano Jake Shields.



Esportista de hobby, mas jornalista de profissão. Trabalhou como repórter do O Estado de S. Paulo, Revista TÊNIS. Tênis Virtual e CurtaTÊNIS em coberturas nacionais e internacionais de grandes eventos.