Homem-bomba tinha ingresso e foi barrado em estádio na França, diz jornal

PARIS, FRANCE - NOVEMBER 15: A general view of The Stade De France ahead of the International match between France and Australia at The Stade De France on November 15, 2014 in Paris, France. (Photo by Charlie Crowhurst/Getty Images)

Os ataques terroristas que aconteceram em Paris na última sexta-feira (13) poderia ter tido um resultado ainda mais trágico do que as mais de 120 mortes e centenas de feridos na capital francesa, caso o sistema de segurança do Stade de France, em Saint-Denis, tivesse falhado. O homem-bomba que acionou os explosivos ligados ao seu corpo no lado de fora da arena tinha ingresso para o jogo entre França e Alemanha e tentou entrar para atacar um local lotado por 80 mil pessoas.

LEIA MAIS
Atentados de Paris: como o futebol foi atingido em noite de terror

A informação foi publicada neste sábado (14) pelo jornal norte-americano The Wall Street Journal. Um guarda, que pediu para ser identificado apenas como Zouheir, contou ao veículo que a equipe de segurança percebeu uma anormalidade com o suposto torcedor e descobriu os explosivos. Na sequência, o homem-bomba se afastou dos funcionários e acionou o equipamento.

Duas explosões puderam ser ouvidas durante a transmissão da partida amistosa de futebol. De acordo com o WSJ, o caso relato pelo guarda se refere ao primeiro barulho, por volta de 16 minutos do primeiro tempo. Três minutos depois, uma nova bomba foi detonada no entorno do estádio, que é conhecido mundialmente por ter sido a casa da seleção francesa na conquista da Copa do Mundo de 1998 e será palco da Eurocopa de 2016.

A ideia dos terroristas, segundo investigadores ouvidos pelo jornal, pode ter sido causar uma tragédia de maiores proporções que o sequestro da casa de shows Bataclan, que recebia um show de rock no momento dos ataques. Mais de 100 pessoas morreram no local.

O presidente da França, François Hollande, estava no estádio vendo a partida e foi retirado por questões de segurança. Segundo o guarda entrevistado pelo WSJ, a saída do governante foi feita logo após a primeira explosão.

Foto: Getty Images



Editor do Torcedores.com, está no site desde julho de 2014. Formado pela Universidade Metodista de São Paulo, já passou por UOL, Editora Abril e Rede Record. Participou da cobertura da Copa do Mundo de 2014, de dois Pans, dos Jogos Olímpicos de Londres 2012 e do Rio 2016. Também colabora com o ONDDA, site "irmão" do Torcedores.com.