Flamengo: 120 anos de grandes conquistas rubro-negras

Neste domingo (15), que me perdoem os rivais e equipes do resto do país, mas o clube que é considerado como “o mais querido do Brasil”  completará mais um ano de vida. A comemoração ocorre no dia de hoje, pois é para celebrar junto com a Proclamação da República, embora, na verdade, o Flamengo tenha sido fundado no dia 17 de novembro. Ao longo de seus 120 anos, o Flamengo vivenciou muitas glórias. Desde o nascimento, no do remo, aos títulos em todos os esportes que se faz presente.

LEIA MAIS:
Quem é a musa do Flamengo? Vote na enquete!

 

O Flamengo sempre foi e provavelmente jamais deixará de ser uma referência quando o assunto é esporte. É óbvio que o futebol é o que mais importa para a grande Nação, porém, essa também se orgulha em poder dizer que nessa rica história, o rubro-negro já cedeu muitos atletas para os esportes olímpicos, a ponto de afirmar com razão que “craque o Flamengo faz em casa”.

Se o presente hoje traz para a torcida mais alegria no Basquete, que inclusive também já conquistou o mundo, do que no futebol, na longa história o papo é outro. Impossível não nos recordar de grandes conquistas. Conquistas essas que renderiam muitas e muitas páginas. Mas vale o resumo para deleite e lembrança dos tempo áureos do clube.

Desde as conquistas dos tricampeonatos estaduais aos títulos nacionais e internacionais.

Impossível não começar com os títulos mais importantes da história do clube. A Libertadores de 1981 foi eletrizante. Partidas que foram vencidas literalmente na base do suor e sangue. A final em três partidas contra o Cobreloa (do Chile) com Zico arrebentando e assumindo a responsabilidade. Vitória de 2×1, derrota pelo mesmo placar no Chile e uma vitória de 2×0. O time comandado por Paulo Cesar Carpegiani enchia os olhos. Mas o melhor estava por vir. O Mundial contra o Liverpool até hoje é considerada uma das finais mais marcantes da história da competição que mudou de formato. O time que foi menosprezado pelos ingleses e com uma estrutura infinitamente inferior, fez o povo japonês se encantar. O Mengão precisou de apenas um tempo para vencer por 3×0 e se apresentar ao Mundo.

O Flamengo se orgulha de nunca ter caído para série B. No Brasileirão dominou a década de 80, conquistando quatro de seus seis títulos. Cada título para chegar ao hexa foi especial.

Em 1980, um grupo comandado pelo jovem promissor e excepcional técnico Cláudio Coutinho conquistou a primeira taça Nacional de peso. O clube vinha do seu terceiro Tri carioca da história(78/79 e 79-Especial).  A vitória foi maiúscula sobre o timaço do Atlético MG por 3×2, em um Maracanã abarrotado.  Em 1982, depois de conquistar o mundo veio o Bicampeonato contra o Grêmio, em pleno estádio Olímpico. Regido pela maestria de Zico e cia, após um empate por 1×1 “sofrido” no Maraca, a vitória de 1×0, gol de Nunes, artilheiro das decisões calou os críticos na época.

Como se não bastasse, a torcida estava mal acostumada e no ano seguinte viu mais uma vez o rubro-negro levantar a taça nacional. Desta vez contra o belo time do Santos que venceu a primeira por 2×1, no Morumbi, mas que não suportou a pressão de 155.523 pagantes e acabou levando um sonoro 3×0. O tetra de 1987 até hoje é polêmico. Mas não há como não reconhecer que o Flamengo foi o legítimo campeão por ter enfrentado as grandes equipes da época no módulo, que se referia à série A de hoje. Vitória debaixo de chuva por 1×0 contra o Internacional. Após cinco anos de seca veio o Pentacampeonato no comando do maestro Júnior, que mesmo com 38 anos, jogava como um menino. Ao lado de jovens jogadores e com a mescla de alguns experientes, o grito de campeão saiu depois de um empate em 2×2 contra o excelente time do Botafogo. Na primeira partida o inesquecível 3×0.

Nem os mais pessimistas torcedores poderiam esperar uma seca tão grande no Brasileirão. Mas valeu a pena esperar. O hexa veio em 2009 com um time que ressurgiu das cinzas sob o comando do ídolo e super campeão Andrade. Bruno, Léo Moura, Ronaldo Angelim, Petkovic, Adriano e tantos outros foram importantes na corrida dos pontos corridos entraram de vez para o hall da fama do clube.

Nesses 120 anos, o Flamengo ganhou tudo que disputou. Impossível não recordar também do tricampeonato da Copa do Brasil. O primeiro em 1990, quando venceu o Goiás por 1×0, gol de Fernando. O bicampeonato em 2006, com show de Juan, Obina e Luizão contra o rival Vasco nas duas vitórias de 1×0 e 2×0. Por fim, o último grande título do clube em 2013 contra o Atlético PR. No primeiro jogo empate dramático por 1×1, com direito a golaço do volante Amaral. Já no Maracanã, vitória de 2×0 com gols de Elias e Hernane “ Brocador”. O flamenguista sente falta desses momentos de glória, mas como sempre, mantém à fé em São Judas para que os próximos 120 anos sejam tão vibrantes e recheados de títulos como esses que passaram.

Crédito da foto: Getty Images



Sou formado em Publ & Prop, jornalismo e rádio. Trabalhei em grandes empresas do ramo de serviços e desde 2003 atuo na área esportiva. Fiz parte da equipe da rádio Record e rádio USP, onde criei, produzi e apresentei 2 programas esportivos. Coordenei o principal programa jornalístico da rádio Estadão ESPN. Atualmente atuo na área comercial.