F1: Massa lamenta problemas de aderência da Williams

Aderência tem sido o problema de Felipe Massa no Autódromo de Interlagos. Mesmo após conseguir neste sábado (14) a oitava colocação no qualifying que definiu o grid de largada para Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1, o piloto da Williams seguiu reclamando desta falha, que tem prejudicado seu trabalho no acerto do carro ao longo do final de semana.

LEIA MAIS:
Rosberg bate Hamilton no fim e fatura pole do GP do Brasil de F1

“Desde ontem eu venho sofrendo para encontrar o balanço do carro, o acerto. Para falar a verdade, de ontem para hoje eu mudei o carro completamente para ver se o carro funcionava de maneira diferente do que aconteceu ontem, mas não funcionou e, a sensação era bem parecida com o carro que eu tinha ontem com um acerto completamente diferente”, disse o brasileiro.

De acordo com Massa, o segundo setor é onde ele tem perdido mais tempo. O piloto alega que a falta de aderência, especialmente na curva nove do traçado paulistano, responsável por faze-lo perder tempo e impedindo-o de conseguir uma posição melhor.

“O problema é no setor dois, onde entram todas estas curvas lentas e meu carro não tem aderência. Eu sofro muito com o grip do carro, tração. A gente tem um problema que a roda dianteira levanta do chão, principalmente na curva nove, e é onde eu perco mais tempo. A briga no setor um e três é normal, mas tudo o que eu perco de performance é no dois”, explicou.

Questionado sobre as chances para a corrida deste domingo, Massa acredita que as equipes optarão por fazer entre duas e três paradas e que tudo dependerá do desgaste dos pneus ao longo da prova. O representante da Williams ainda afirmou que uma temperatura mais amena poderá ajudar a amenizar o desgaste dos pneus.

“Será uma corrida, sem dúvida, onde o pneu desgasta bastante. Deve estar entre duas e três paradas. Fazer duas não será fácil, pelo menos na situação de ontem e hoje com a temperatura que a gente tá andando na pista nesses dias. Amanhã a temperatura cai bastante, talvez seja o único jeito de a gente melhorar e tentar duas paradas. Pode acontecer, mas não será uma corrida fácil”, completou.

O Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1 acontece neste domingo (15), a partir das 14h.

Foto: Beto Issa/F1 GP Brasil



Jornalista com passagens pelas revistas Racing e House Mag.