8 motivos que explicam a derrota de Ronda Rousey para Holly Holm

Foto: Getty Images

Zebra histórica, a derrota de Ronda Rousey para Holly Holm, no UFC 193, ocorrido neste sábado, em Melbourne, deixou os amantes do MMA surpresos com a maneira que a nova campeão bateu a até então invicta.

Como explicar a zebra? Veja alguns motivos:

1) Holly é mais alta: tem mais envergadura. Para quem luta em predominantemente em pé, como ela, isso é uma vantagem e tanto. Ela consegue manter a distância e evitar os “botes” de Ronda.

2) Descontrole emocional: Ronda foi igual um búfalo pra cima da Holly e se deu mal, toda vez que tentava, tomava um golpe. Isso já ficou evidente na pesagem, sexta-feira, quando tentou partir para a porrada com a adversária.

3) Ronda se defende mal em pé: luta com a guarda muito aberta. E contra um ex-multicampeã de boxe, isso é fatal.

4) Ronda não conseguiu impor o jogo de chão: Quedou, tentou chave de braço, mas Holly defendeu. Além da Holly ter se defendido bem no chão, frustrou Ronda, que sempre leva o braço pra casa. Isso mexeu com o psicológico da então campeã.

5) Holly preparada: além de explorar os próprios pontos fortes, a nova campeã do UFC soube minar as forças de Ronda. Em entrevista após a vitória, Holly disse ter treinado exaustivamente a defesa no chão para evitar a chave de braço, principal arma de Ronda.

6) Ronda não sabe chutar: Holly tinha esta arma adicional no repertório. Holly é kickboxer, foi a rival mais preparada que a Ronda enfrentou. Além dos chutes, ela tem um jogo de pernas muito fluído. a Ronda só enfrentou grapplers praticamente. A Bethe era única striker, mas também não apostava muito nos chutes. Holly não tem muita potência na mão, mas no pé, apavorou. Tirou um chute da cartola.

7) Holly é canhota: sempre dificulta contra um lutador destro por causa da movimentação “espelhada”.

8) Badalação tirou o foco: natural de quem era a campeão invicta, fenômeno do UFC, Ronda vinha sendo muito badalada, com muitos compromissos com a mídia. Agora celebridade, tendo ate que falar sobre seu novo namorado, Ronda teve menos tempo para treinar e concentrar. Holly teve muito menos “hype” e foi ais focada para a luta.

A LUTA

A norte-americana Ronda Rousey vai se lembrar por muito tempo do dia 15 de novembro de 2015. A compatriota Holly Holm provavelmente nunca mais esquecerá. Essa data marcou o fim de mais uma era no esporte mundial. Ronda sucumbiu diante de um estádio lotado em Melbourne, na Austrália, e perdeu o cinturão dos pesos galos femininos do UFC para Holm. A luta durou menos de dois rounds.

LEIA MAIS
Opinião: Ronda Rousey foi irreconhecível em derrota para Holly Holm

Ronda foi nocauteada, uma cena inédita em um combate que reuniu duas lutadoras invictas no MMA profissional. Holm foi impecável, conseguiu atingir Ronda diversas vezes desde o começo da luta e ainda escapou de um arm lock da agora ex-campeã, um de seus golpes mais conhecidos.

A derrota de Ronda foi sacramentada com uma queda durante o segundo round. A detentora do cinturão tentou se levar e acabou levando um chute no pescoço, indo ao chão de maneira decisiva. Termina assim uma era de 12 vitórias seguidas no MMA. Agora a popstar do UFC terá que se reerguer e buscar uma revanche.

Colaborou: Matheus Adami

Foto: Getty Images



Flávio Moreira é jornalista especializado em mídias sociais. Com passagens por UOL e Electronic Arts, é apaixonado por esporte e acredita na produção de conteúdo feito de torcedor para torcedor.