Elogios e críticas sempre virão, diz palmeirense Gabriel Jesus ao Torcedores.com

Crédito da foto: Márcio Donizete/Torcedores.com

Uma das principais joias da base do Palmeiras nos últimos anos e que vem sendo solução para o técnico Marcelo Oliveira, Gabriel Jesus já caiu nas graças do palmeirense. Isso porque o jovem de 18 anos “causou” filas intermináveis no evento de lançamento da nova chuteira Primeknit FW15, da Adidas (fornecedora oficial esportiva alviverde) no Morumbi Shopping, na Capital. Ele ficou por quase duas horas autografando camisas e conversando com torcedores.

LEIA MAIS
Palmeiras: Gabriel Jesus participará de lançamento de chuteira em evento aberto aos torcedores

Esse assédio de centenas de palestrinos, na maioria crianças e adolescentes, fazem eles o enxergarem como ídolo do clube e que pode render sorrisos futuramente. Alguns se emocionaram ao ver Jesus e os mais fanáticos ecoaram o grito das arquibancadas na loja da patrocinadora do Verdão nesta segunda-feira (19): “Glória, glória, aleluia, é Gabriel Jesus!” e “Jesus é melhor que o Neymar”.

Em entrevista exclusiva ao Torcedores.com, o jogador, mesmo ainda engatinhando nos gramados, já encara esse carinho do público com naturalidade. “Ah, é tranquilo. Para mim se tornou tranquilo, normal. Encaro como carinho da torcida, de quem grita, quem apoia, então para mim ficou tranquilo”, disse o camisa 33. Aliás, encontros de torcida/ídolo não fizeram parte da vida dele. “Não tive oportunidade porque minha vida toda foi futebol, então corria atrás dos objetivos quando pequeno. Não tinha tempo nem de torcer, sempre estava jogando bola”, emendou.

Gabriel Jesus projetou o difícil duelo do Palmeiras com o Fluminense, no Maracanã, pelo jogo de ida da semifinal da Copa do Brasil. Para o atacante será uma nova partida, uma nova história, sem relação alguma com a vitória por 4 a 1 no último mês pelo Campeonato Brasileiro. “A gente vai entrar determinado em fazer uma função, cada jogo é um jogo, a gente vai tentar conquistar a vitória. Vamos tentar de tudo, mas cada jogo é um jogo, não devemos lembrar do jogo passado até porque já passou. Agora é nova realidade, então tem e enfrentar”, ressaltou.

Sobre seu desempenho, que decaiu nos últimos compromissos, ele vê com normalidade possíveis críticas que venham por causa disso. “Elogios e críticas sempre vão vir, jogador tem muitas fases boas e não tão boas, então a gente tem de encarar da melhor forma e conseguir fazer com que ela passe logo. O gol (contra o Avaí, no sábado, pelo Brasileirão) foi muito importante, me deixou bem mais tranquilo, mais calmo para trabalhar”, destacou.

Sobre trabalhar com Marcelo Oliveira, Jesus evitou comparações com o antecessor Oswaldo de Oliveira, com quem também foi comandado neste ano. “Não tem como eu diferenciar agora. Os dois treinadores são de altíssimo nível, excelentes treinadores. Os dois fazem o trabalho muito bem feito, então não tem como eu te diferenciar os dois agora”, afirmou.

O jovem atleta se disse adaptado ao futebol nacional e ao Campeonato Brasileiro, primeira competição em alto nível que ele participa na ainda curta carreira. “É a elite do futebol brasileiro, o campeonato mais forte. A gente tenta se adequar ao máximo possível para mostrar nosso futebol  e a grandeza do Palmeiras. Para mim é tranquilo, já estou me adequando em relação a isso e mais sossegado”, finalizou.

Confira fotos do evento em que Gabriel Jesus participou na loja da Adidas no Morumbi Shopping:



Jornalista desde 2012, com passagens pelos jornais ABCD Maior e Diário do Grande ABC, além do canal NET Cidade. Atualmente como repórter colaborador no site Torcedores.com.