Sem pânico: Oswaldo trata oscilação do Flamengo com naturalidade

Para Oswaldo de Oliveira, a derrota do Flamengo por 4 a 1 para o Atlético-MG, nesse domingo, não pode ser causa de pânico na Gávea. Antes de ver sua equipe tomar quatro gols, o técnico viu Alan Patrick desperdiçar um pênalti quando o placar estava 0 a 0. Por isso, na sua análise, o Rubro-Negro pecou nos detalhes diante de um adversário que tem um ataque muito eficiente.

LEIA TAMBÉM:
Flamengo: Confira frases dos jogadores após derrota para o Galo
Confira o golaço anotado por Dátolo, do Atlético-MG, em cima do Flamengo
Atlético-MG x Flamengo: Guerrero é CAÔ ?
Everton desfalca Flamengo no clássico contra o Vasco

“Algumas circunstâncias que não tínhamos passado e hoje acabaram acontecendo. Por exemplo, no jogo passado tomamos um gol de pênalti logo no início e aquilo foi decisivo para o restante da partida. Hoje tivemos a mesma oportunidade e não conseguimos. Uma série de detalhes que acabaram decidindo a partida”, lamentou Oswaldo, em entrevista coletiva.

“Acho que o Atlético aproveitou as oportunidades naquilo em que ele é muito forte, na bola parada. À medida que fez os gols, ganhou mais confiança. Mesmo assim o Flamengo reagiu e conseguiu empatar. Levava um tempo para reagir após levar um gol, mas retomava a partida. Não vou falar em elasticidade do placar porque o Atlético-MG é bom nisso. Se ele é bom nisso, ele merece, completou o treinador, que sofreu sua segunda derrota no comando do Urubu pelo Campeonato Brasileiro.

Após seis vitórias consecutivas e a entrada do Flamengo no G-4, os reveses para Coritiba e Galo fazem o time cair para sexto lugar, atrás de São Paulo e Palmeiras, esse último em quarto lugar. Na visão de Oswaldo, “exceto o líder Corinthians, a oscilação é encarada dentro da normalidade em um campeonato longo”.

Sem a Copa do Brasil no meio de semana, Oswaldo terá a semana toda para trabalhar o time que vai jogar o clássico contra o Vasco, no domingo que vem, no Maracanã.

Curtiu a matéria? Siga o autor no Twitter: @fontes_matheus.
Facebook: Matheus Martins Fontes.

Foto: Gilvan de Souza/Flamengo



Esportista de hobby, mas jornalista de profissão. Trabalhou como repórter do O Estado de S. Paulo, Revista TÊNIS. Tênis Virtual e CurtaTÊNIS em coberturas nacionais e internacionais de grandes eventos.