O úmido, quente e desafiador circuito de Marina Bay

Fonte: Instagram Sauber F1 team

A fórmula 1 retorna mais uma vez ao espetacular circuito de Marina Bay, palco de um dos maiores escândalos dos últimos tempos da categoria e que pode ter custado um título para Felipe Massa.

A corrida de Cingapura é um verdadeiro espetáculo, iluminação, calor, umidade e esse ano devido a incêndios florestais o circuito ganhou uma densa nuvem esbranquiçada que promete ser um tormento na vida de equipes, pilotos e espectadores.

O circuito possui 5.065 metros de extensão e será disputado em 61 desgastantes voltas o que totaliza pouco mais de 308km de prova. O recorde da pista foi anotado por Sebastian Vettel ainda em 2013 com o tempo de 1:48.574.

A pista é um verdadeiro desafio, recentemente A McLaren revelou que há determinado ponto do circuito onde os carros são afetados por alguma força eletromagnética que ninguém sabe de onde vem, durante milésimos de segundo os pilotos não possuem controle sobre a aceleração dos carros.

Por se tratar de uma pista de rua com alto donwforce sendo importante e a potência do motor não ser tão levada em consideração é possível que RedBull, ToroRosso e McLaren deem trabalho para as demais equipes, como vimos em Mônaco e Hungria.

Exige-se muito downforce nos carros, a pressão lateral também é grande. Por ser um asfalto de rua a abrasividade é não é muita, o que gera pouco estresse aos compostos e faz com que o desgaste seja pequeno (lembre-se de Felipe Massa e Bottas no ano passado).

O maior vencedor da prova é o alemão Sebastian Vettel, que venceu as provas de 2011, 2012 e 2013. O último vencedor e pole position foi o Inglês Lewis Hamilton.

Confira uma volta rápida no circuito de Marina Bay com Lewis Hamilton

A corrida é esperada por torcedores e por pilotos o ano inteiro e é certamente um espetáculo à parte no calendário. Uma corrida em Cingapura é sinônimo de competição, acidentes, Safety Car e muita emoção para pilotos e fãs da categoria.

Apertem os cintos, pois mais uma vez a fórmula 1 estará correndo em um de seus mais belos palcos.



Serranegrense de 26 anos. Diferente da maioria dos escritores,não sou jornalista formado, e sim cientista, detalhe esse que não diminui minha paixão pela escrita automobilística. Apaixonado por esportes à motor desde criança, se há corrida passando na TV, paro pra assistir independente do que tenho pra fazer. F1, F-Indy, Motogp, Stock Car, Formula-E.