Eduardo Baptista é apresentado no Fluminense e mira Libertadores: “Vejo um espaço para G4”

Fotos: Bruno Haddad – Divulgação FFC

O novo técnico tricolor disse que saiu do Sport por sentir que sua história no clube já estava chegando ao fim, e que aceitou o convite do Fluminense pelo clube ter uma filosofia parecida com a sua carreira de técnico.

LEIA MAIS:
E aí? Vice de futebol do Fluminense tinha garantido Enderson Moreira mesmo em caso de derrota para o Palmeiras
René Simões não é mais técnico do Figueirense
Mercado da Bola: Ex-atacante do Flamengo, Diego Maurício acerta com novo clube

O Fluminense apresentou na manhã desta sexta-feira seu novo treinador, Eduardo Baptista. Quem deu as boas vindas ao técnico foi o presidente tricolor, Peter Siemsen, que disse ter convicção em um trabalho muito bem feito.

Tenho certeza que foi uma escolha acertada. Tenho total convicção que esse trabalho será muito bem feito. Seja bem-vindo Eduardo, que esse trabalho seja muito bem feito – disse o mandatário.

Eduardo Baptista chega ao Fluminense onde reencontrará o auxiliar técnico Marcão, com quem trabalhou junto no Sport em 2012. O técnico disse que aceitou o convite do tricolor por ter filosofia parecida com a de sua carreira.

O Fluminense tem uma filosofia parecida com a maneira que eu tenho para a minha carreira. Quando tracei o meu plano de carreira, sempre sonhei em trabalhar aqui. Não que o Sport não tenha, mas eu senti que estava chegando o fim da minha história lá. Fiquei muito feliz com o convite do Fluminense. Fui muito bem recebido e estou com muita confiança para conseguir encarar esse desafio – ressaltou o treinador.

O novo treinador tricolor falou ainda sobre a maneira que quer o time atuando, Ronaldinho Gaúcho, Fred e descartou briga por zona de rebaixamento. Para o técnico, o objetivo do clube tem que ser entrar no G-4.

VEJA OS TRECHOS DA ENTREVISTA DE APRESENTAÇÃO:

 

– COMO ENCONTROU A EQUIPE:

Eu não sou um cara de rede social, mas você acaba escutando algumas coisas. Quando entrei aqui, vi uma equipe preocupada, querendo sair dessa situação.

– RONALDINHO GAÚCHO:

O Ronaldinho tem um peso. É um jogador de extrema qualidade, mas a disputa é dentro de campo. Acima de todos nós tem a instituição Fluminense. Conversei rapidamente com ele, que se mostrou muito solicito em ajudar. Aposto muito nele, vejo com uma grande condição de nos ajudar. Sendo titular ou não. É um jogador que nós vamos saber lidar. Sem pressão nenhuma.

– IMPORTÂNCIA DE FRED PARA EQUIPE:

Tive uma conversa com quase todos os atletas. Primeiro em grupo, depois individualmente. O Fred é um líder. Acho que essa vontade de acertar, a busca por fazer o certo, está sendo rápida demais.

–  MUDANÇAS NA EQUIPE:

Treinamos hoje. Tentei dar uma cara do que eu acho que é certo para este momento. Isso já é um grande passo para se mudar. Analisando o Fluminense, até para enfrentá-lo, eu vejo que temos um centroavante com qualidade de finalização imensa. O Fred tem uma condição técnica ótima para dominar e finalizar, mas os homens de beirada precisam ser ativos, os laterais também. Essa bola tem que chegar pelo fundo. Está faltando isso, mas temos que treinar, porque temos um atacante de finalização muito boa.

– RESGATE DA CONFIANÇA:

Eu também enfrentei o Fluminense no primeiro turno e a equipe sempre foi rápida e com jogadores ousados, que arriscam muito. Essa falta de resultado, a pressão, causou que o time parasse de ousar um pouco, seja pela confiança, ou pela falta de segurança. O que tivemos hoje no campo foi o mínimo. Um treino só, mas taticamente fizemos alguma coisa. Essa questão de confiança nós conversamos individualmente. Eu vi essa equipe há poucos meses e me animou muito. Precisamos resgatar isso, esse quesito confiança, a parte psicológica deles, mas nós vamos recuperar.

– CONSTANTES TROCAS DE TÉCNICOS:

Estou numa profissão que a garantia é o resultado. Eu pedi condições de trabalho e aqui eu tenho jogadores de qualidade. Larguei um projeto muito grande no Recife porque eu acreditei no que eu vi aqui. São os atletas em campo, e a diretoria que vai nos blindar. Preciso acreditar no meu trabalho, nos jogadores e confiar que tudo dará certo.

– META PARA EQUIPE NO BRASILEIRO:

Quando eu aceitei a proposta, conversei com o Peter, eu não sairia do Sport para brigar contra o rebaixamento. O Fluminense tem um time que já foi vice-líder. Vejo um espaço para G4 e nós vamos trabalhar bastante. Temos um campeonato bastante competitivo, temos a Copa do Brasil, onde iremos buscar a classificação.

Fotos: Bruno Haddad – Divulgação FFC

Curtiu essa matéria? Siga o autor no Twitter: @allanmadi